Autárquicas 2012

Direita ganha Braga com Rio à terceira tentativa

Direita ganha Braga com Rio à terceira tentativa

A luta pela Câmara de Braga adivinha-se dura: Ricardo Rio, da Direita, está perto de lá chegar à terceira tentativa; Vítor Sousa (PS), após ganhar o partido, arrisca perder o povo; e a CDU volta a ser decisiva.

O economista Ricardo Rio, líder da coligação "Juntos por Braga" (PSD/ CDS/PPM), é o preferido dos eleitores bracarenses inquiridos pelo JN para presidir à Câmara Municipal (CMB) a partir de outubro, com 43,3% dos votos. Atrás fica Vitor Sousa, do PS, com 41,1%, seguido do jovem candidato da CDU, Carlos Almeida, que logra 8% e, por fim, a novel congregação de independentes, liderada pela investigadora Inês Barbosa, com quase 5%.

Caso as urnas confirmem a sondagem JN, a vitória de Ricardo Rio constitui mudança radical no município, ao desalojar do poder o PS que, com Mesquita Machado, ocupa a Presidência há 36 anos. E premiará a persistência de Rio, que lidera a Direita pela terceira vez consecutiva. Aparentemente, a sobriedade e honestidade que lhe são reputadas, a par de um trabalho longo e sólido na Oposição, são argumentos suscetíveis de contornar um voto de protesto contra a coligação governamental que "Juntos por Braga" emula.

Rio beneficia ainda das fragilidades do próprio PS, enfraquecido por clivagens resultantes do processo interno de seleção do candidato autárquico, e desgastado por mais de três décadas de gestão. Nesse tempo, o PS colonizou o Poder Local, urdindo redes de dependências de que resultaram suspeitas de conluios e conúbios, as quais, embora jamais provadas, são património do imaginário coletivo bracarense.

Polémicas urbanísticas

Ónus que também recai sobre Vítor Sousa, obnubilando a sua simpatia, a enorme capacidade de trabalho e o profissionalismo da sua campanha. Por um lado, pela investigação judicial, ainda em curso, à eventual autoria de negócios ilícitos nos Transportes Urbanos de Braga (TUB); por outro lado, ao deixar-se vincular, enquanto vice-presidente da CMB, à expropriação urgente de imóveis sobre os quais recai uma hipoteca da filha e genro de Mesquita Machado.

E, neste contexto, o ensejo de capitalizar o carisma do velho edil - cuja obra, principalmente nas freguesias, poucos contestam -, sugerindo continuidade na administração da coisa pública local, poderá comportar mais danos do que virtudes. Danoso para as ambições de Sousa foi, ainda, o aumento recente e brutal da área sujeita a estacionamento pago, com quase metade dos eleitores (45,7%) a manifestarem desagrado.

A CDU também poderá reclamar vitória, ao inflacionar em dois pontos a votação de 2009 e recuperar um vereador, tal como ocorreu em 2001, com Jorge de Matos (no pelouro da Ação Social), e Casais Baptista, em 1993.

Por fim, o "Cidadania em Movimento" - ainda em fase de recolha de assinaturas -, será o repositório do voto, não só do Bloco de Esquerda, mas também dos descontentes com a gestão do PS local e do PSD-PP no âmbito governamental. Isto, se chegar a ir às urnas...

FICHA TÉCNICA

Estudo de opinião efetuado pela Eurosondagem, S.A., para o JN, nos dias 26 e 27 de maio de 2013. Entrevistas telefónicas, realizadas por entrevistadores selecionados e supervisionados. O universo é a população com 18 anos ou mais, residente no concelho de Braga, e habitando em lares com telefone da rede fixa. Foram efetuadas 707 tentativas de entrevistas e, destas, 96 (13,6%) não aceitaram colaborar no estudo de opinião. A escolha do lar foi aleatória nas listas telefónicas e o entrevistado, em cada agregado familiar, o elemento que fez anos há menos tempo, e desta forma aleatória resultou, em termos de sexo, (feminino - 51,6%; masculino - 48,4%), e no que concerne à faixa etária, (dos 18 aos 30 anos - 20,5%; dos 31 aos 59 - 49,4%; com 60 anos ou mais - 30,1%) num total de 611 entrevistas validadas. O erro máximo da amostra é de 3,96%, para um grau de probabilidade de 95%.

ver mais vídeos