Autárquicas 2013

Parada avança em Matosinhos e cola-se a Guilherme Pinto

Parada avança em Matosinhos e cola-se a Guilherme Pinto

A luta autárquica em Matosinhos vai manter-se quente até ao fim. Diz a sondagem JN que o socialista António Parada está colado ao independente Guilherme Pinto. No início de junho havia 7,5% entre eles.

Guilherme Pinto, o presidente da Câmara de Matosinhos eleito pelo PS em 2009, mas que o partido não quer recandidatar nas próximas autárquicas, é ainda o mais bem colocado no estudo de opinião que a Eurosondagem fez para o JN, com uma projeção de 33% dos votos. Mas se olhar para trás fica cara a cara com o socialista António Parada (30,9%), tal é a proximidade entre ambos. É o chamado empate técnico.

Tomando como referência a sondagem também publicada pelo JN no início de junho constata-se que o novo quadro eleitoral em Matosinhos fica a dever-se a uma subida (de 3,4%) de Parada e um ligeiro recuo de Guilherme Pinto (2%). Razões para esta evolução há várias. Desde logo a certeza de que Narciso Miranda não será candidato - há dois meses ainda subsistiam dúvidas - favorece o socialista, até porque já foram dados sinais de aproximação entre ambos. Por outro lado, o aparecimento em cena de Manuel Maio, lançado pelo CDS-PP (não integrou o último inquérito de opinião), joga contra Guilherme Pinto, que absorvia parte do eleitorado centrista.

Parada beneficiou também de um maior envolvimento da estrutura partidária, incluindo a presença do secretário-geral socialista, António José Seguro, no concelho.

É, portanto, entre estes dois homens que se vai discutir a vitória em Matosinhos. Quanto aos restantes, as variações são mínimas. Pedro da Vinha Costa, do PSD, mantém a performance da sondagem anterior (16,7% e dois mandatos), o candidato da CDU, José Pedro Rodrigues, sobe ligeiramente (de 8%, em junho, para 8,4%), o que equivale a um vereador, ao passo que Fernando Queiroz, do BE, tropeça e cai de 5% para 3,8%. Já Manuel Maio, acabado de entrar na corrida, chega aos 3,8%.

Outra nota digna de destaque é a subida significativa do número de indecisos, que passaram de 15,1 para 19,7% e que se pode associar à decisão de Narciso Miranda de não se recandidatar.

Adivinha-se, por isso, uma reta final de campanha renhida e será interessante perceber se os dados transmitidos por esta sondagem são uma tendência ou meramente circunstanciais. A este propósito convém não esquecer que, tal como o JN noticiou há algumas semanas, o PS vai introduzir notáveis do partido nas ações de Parada, estando prevista também a participação de Narciso. E Guilherme Pinto terá igualmente trunfos para jogar.

FICHA TÉCNICA

Estudo de opinião efetuado pela Eurosondagem, S.A., para o JN, nos dias 21 e 22 de julho de 2013.

Entrevistas telefónicas, realizadas por entrevistadores selecionados e supervisionados. O universo é a população com 18 anos ou mais, residente no concelho de Matosinhos, e habitando em lares com telefone da rede fixa.

Foram efetuadas 821 tentativas de entrevistas e, destas, 111 (13,5%) não aceitaram colaborar no estudo de opinião.

A escolha do lar foi aleatória nas listas telefónicas e o entrevistado, em cada agregado familiar, o elemento que fez anos há menos tempo, e desta forma aleatória resultou, em termos de sexo, (feminino - 52,0%; masculino - 48,0%), e no que concerne à faixa etária, (dos 18 aos 30 anos - 19,3%; dos 31 aos 59 - 49,4%; com 60 anos ou mais - 31,3%) num total de 710 entrevistas validadas.

O erro máximo da amostra é de 3,67%, para um grau de probabilidade de 95%.

ver mais vídeos