Autárquicas 2013

PS mantém distância de direita em disputa à Câmara de Guimarâes

PS mantém distância de direita em disputa à Câmara de Guimarâes

No mês que clarificou as candidaturas à Câmara de Guimarães, pouco mudou no eleitorado: só o BE subiu, mas sem incomodar. O PS lidera e a direita, da coligação PSD-CDS, terá de contar com novo concorrente.

A festa de formalização da candidatura da coligação "Juntos por Guimarães" (PSD-CDS), liderada por André Coelho Lima, à Câmara de Guimarães, na noite de 24 de junho, foi grande, e terá deixado exultantes os mil prosélitos presentes no S. Mamede. É certo que averbou mais 0,8% de preferências, mas tal entusiasmo não parece, todavia, ter contaminado o eleitorado vimaranense, que se manteve fiel às escolhas já manifestadas na sondagem publicada pelo JN em maio, que dava 33% dos votos à coligação.

Assim, a candidatura do PS, liderada por Domingos Bragança, embora descendo ligeiramente (1,4%), mantém larga dianteira, com 49,6% das intenções de voto. A excessiva discrição de Bragança foi compensada com a apresentação do trunfo maior do PS: o ex-presidente da Câmara, António Magalhães, a cumprir o derradeiro mandato e cuja mitificação pelos indígenas já começou, é candidato à Assembleia Municipal.

Sem conseguir descolar, "Juntos por Guimarães" está confrontada com fatores negativos que não controla, como o desgaste suscitado pelas dissonâncias públicas do Governo suportado pelos partidos matriciais da coligação vimaranense. Além disso, o seu espaço natural será disputado pelo movimento de direita liderado pelo PPM, e que conta com o PND e o Portugal Pró-Vida. A candidatura, já acordada e em vias de formalização, poderá cativar a direita desiludida com os partidos governamentais.

A CDU, cuja campanha tem assumido os mesmos contornos e discursos de disputas anteriores, com festas nas freguesias e ataques à orientação do Governo central, desceu também 1,4%, mas continua a garantir a manutenção do seu vereador, José Torcato Ribeiro, com 9,6%. O BE, que quase duplicou as preferências (de 2,2% para 4,2%), mantêm-se sem significado real.

Ficha técnica

Estudo de opinião efetuado pela Eurosondagem, S.A., para o JN, nos dias 12 e 14 de julho de 2013. Entrevistas telefónicas, realizadas por entrevistadores selecionados e supervisionados.

O universo é a população com 18 anos ou mais, residente no concelho de Guimarães, e habitando em lares com telefone da rede fixa. Foram efetuadas 707 tentativas de entrevistas e, destas, 104 (14,7%) não aceitaram colaborar no estudo de opinião.

A escolha do lar foi aleatória nas listas telefónicas e o entrevistado, em cada agregado familiar, o elemento que fez anos há menos tempo, e desta forma aleatória resultou, em termos de sexo, (feminino - 51,4%; masculino - 48,6%), e no que concerne à faixa etária, (dos 18 aos 30 anos - 18,2%; dos 31 aos 59 - 49,3%; com 60 anos ou mais - 32,5%) num total de 603 entrevistas validadas. O erro máximo da amostra é de 3,99%, para um grau de probabilidade de 95%.

ver mais vídeos