Autárquicas 2012

PS perde bastião para presidente que "despediu"

PS perde bastião para presidente que "despediu"

Guilherme Pinto seria reeleito presidente da Câmara de Matosinhos se as eleições fossem hoje. António Parada, o socialista que protagonizou o "golpe de estado" que o empurrou do PS fica em segundo.

O PS corre o risco de perder uma das suas autarquias mais emblemáticas. António Parada, que primeiro ganhou a concelhia socialista e depois "despediu" Guilherme Pinto como candidato, não consegue melhor do que um segundo lugar, a sete pontos e meio do agora autarca independente.

Ao contrário do que aconteceu há quatro anos, com Narciso Miranda incapaz, apesar da sua popularidade, de contrariar a força da marca PS, é esse o cenário traçado, desta vez, pela Eurosondagem, no estudo feito para o JN.

Guilherme Pinto, que ainda não apresentou formalmente a sua candidatura, mas que já recolheu as quatro mil assinaturas necessárias, não só segue na frente, como perde apenas sete pontos percentuais relativamente ao que conseguiu nas autárquicas de 2009, então como candidato oficial do PS.

O agora socialista independente parece beneficiar, também, com o anúncio de Narciso Miranda, putativo candidato que entretanto esclareceu que está fora da corrida. Como previa um estudo de opinião divulgado em abril passado, Guilherme Pinto somaria percentagens mais significativas se Narciso desaparecesse do cenário eleitoral.

Para baralhar as contas de Guilherme Pinto e António Parada há que contar, todavia, com dois dados adicionais: por um lado, os cerca de 15% de indecisos; por outro, os quase 8% (um número anormalmente alto) de inquiridos que responde preferir votar noutro candidato, que não se vislumbra. Será gente que ainda imagina um volte-face e o regresso de Narciso Miranda?

Quem parece ser, em definitivo, uma carta fora do baralho, é Pedro da Vinha Costa, que fica até abaixo do resultado conseguido por José Guilherme Aguiar, o paraquedista que a coligação PSD-CDS/PP foi buscar a Gaia em 2009. O social-democrata perde com a saída de cena de Narciso, que ajudaria a dividir, ainda mais, o eleitorado socialista; e perde com o castigo que parte do eleitorado naturalmente não deixará de aplicar ao partido que aplica tão duras medidas de austeridade a nível nacional.

Razões para sorrir tem o jovem candidato da CDU, José Pedro Rodrigues. Depois de um resultado desolador, em 2009, com o mediático deputado Honório Novo, os comunistas parecem estar de regresso. Com o bónus de se tratar de um Governo municipal sem maioria absoluta e em que a sua capacidade de influência será maior.

Fernando Queiroz, o candidato do Bloco de Esquerda, não deverá ter a mesma sorte. Mas também é preciso ter em conta que, apesar de ser repetente nestas lutas, foi o último a entrar na campanha. E mesmo assim já consegue duplicar as percentagens conseguidas há quatro anos.

FICHA TÉCNICA

Estudo de opinião efetuado pela Eurosondagem, S.A., para o JN, nos dias 29 e 30 de maio de 2013. Entrevistas telefónicas, realizadas por entrevistadores selecionados e supervisionados. O universo é a população com 18 anos ou mais, residente no concelho de Matosinhos, e habitando em lares com telefone da rede fixa. Foram efetuadas 825 tentativas de entrevistas e, destas, 118 (14,3%) não aceitaram colaborar no estudo de opinião. A escolha do lar foi aleatória nas listas telefónicas e o entrevistado, em cada agregado familiar, o elemento que fez anos há menos tempo, e desta forma aleatória resultou, em termos de sexo, (feminino - 52,2%; masculino - 47,8%), e no que concerne à faixa etária, (dos 18 aos 30 anos - 20,9%; dos 31 aos 59 - 49,2%; com 60 anos ou mais - 29,9%) num total de 707 entrevistas validadas. O erro máximo da amostra é de 3,68%, para um grau de probabilidade de 95%.

ver mais vídeos