Autárquicas 2013

PSD e PS perdem terreno em Viseu mas distância mantém-se

PSD e PS perdem terreno em Viseu mas distância mantém-se

Almeida Henriques (PSD) continua na frente na corrida à Câmara de Viseu, mas é o que sofre a maior queda. O PS também perde e o candidato do CDS, Hélder Amaral, sobe. O número de indecisos aumentou.

Era expectável que assim que o candidato do CDS/PP, Hélder Amaral, começasse a jogar, baralhasse algumas cartas. Distribuído o jogo, os trunfos, ainda que em menor número, continuam nas mãos dos dois principais concorrentes.

Almeida Henriques, candidato do PSD, continua a liderar nas intenções de voto, com 48,8%, mas nos últimos dois meses perdeu 1, 2% de eleitorado, conseguindo cinco mandatos, encontrando--se com uma vantagem de 10% em relação ao adversário do PS, José Junqueiro, (38,8%). O socialista perdeu meio por cento nas intenções de voto, podendo alcançar quatro mandatos.

Hélder Amaral arrecada, agora, 5,1% do eleitorado, registando uma subida de 1,5%, que representa quase a totalidade dos votos perdidos pelos candidatos do PS e do PSD. Hélder Amaral, recorde--se, foi o último a apresentar publicamente a candidatura e o primeiro a criar polémica na campanha.

Indecisos em alta

Depois da Autarquia ter recusado ceder o Solar do Dão, onde pretendia fazer a apresentação, Hélder Amaral, em jeito de protesto, fê-lo em pleno Rossio, mesmo em frente à Câmara Municipal, espaço que a Autarquia diz estar vedado, por força do regulamento, a atividades partidárias.

Almeida Henriques protagonizou a segunda polémica, quando o seu ex-assessor no Governo foi acusado de lhe promover as ações de campanha, depois de ter sido nomeado assessor da presidente da Assembleia da República, Assunção Esteves. Acabou demitido e o candidato do PSD foi acusado pelos adversários de usar meios públicos para promover a candidatura. A seguir, Hélder Amaral também teve de justificar por que razão usara, no início da campanha, assessores do grupo Parlamentar do CDS.

A dois meses das eleições autárquicas, Manuela Antunes, do Bloco de Esquerda, desce, sem significado, de 2,6 para 2, 4% e Francisco Almeida, da CDU, sobe, também sem relevância, de 2,1 para 2,2% nas intenções de voto.

A maior subida regista-se no número de indecisos, que aumentou em 2,6%, totalizando agora 20, 4% do total de eleitores, isto quando os dois principais partidos já apresentaram os programas eleitorais, os candidatos às freguesias e guardam ainda na manga os elementos que vão compor as listas à Câmara e à Assembleia Municipal.

FICHA TÉCNICA

Estudo de opinião efetuado pela Eurosondagem, S.A., para o JN, nos dias 17 e 18 de julho de 2013. Entrevistas telefónicas, realizadas por entrevistadores selecionados e supervisionados.

O universo é a população com 18 anos ou mais, residente no concelho de Viseu, e habitando em lares com telefone da rede fixa.

Foram efetuadas 595 tentativas de entrevistas e, destas, 80 (13,4%) não aceitaram colaborar no estudo de opinião.

A escolha do lar foi aleatória nas listas telefónicas e o entrevistado, em cada agregado familiar, o elemento que fez anos há menos tempo, e desta forma aleatória resultou, em termos de sexo, (feminino - 51,5%; masculino - 48,5%), e no que concerne à faixa etária, (dos 18 aos 30 anos - 18,4%; dos 31 aos 59 - 49,9%; com 60 anos ou mais - 31,7%) num total de 515 entrevistas validadas. O erro máximo da amostra é de 4,31%, para um grau de probabilidade de 95%.

ver mais vídeos