Autárquicas 2013

Rui Moreira garante que apoios "não condicionarão" candidatura

Rui Moreira garante que apoios "não condicionarão" candidatura

O candidato independente à Câmara do Porto, Rui Moreira, a quem o CDS-PP/Porto deu o seu apoio, disse, esta sexta-feira, que todos os apoios são bem-vindos, "desde que venham de setores democráticos", mas alertou que "não condicionarão" a candidatura.

A concelhia do CDS-PP/Porto aprovou, na quinta-feira à noite, por unanimidade e aclamação, o apoio ao candidato independente à Câmara do Porto, Rui Moreira, nas próximas eleições autárquicas.

Esta sexta-feira, após uma visita à Sociedade de Reabilitação Urbana do Porto, Rui Moreira foi questionado sobre apoio aprovado pela concelhia do CDS-PP/Porto às próximas eleições autárquicas, tendo reiterado o nome da sua candidatura: "O meu partido é o Porto".

"Relativamente aos apoios que venham, são sempre bem-vindos, desde que venham naturalmente de setores democráticos, mas não condicionarão minimamente a nossa candidatura, não condicionarão a nossa atividade, não condicionarão as nossas declarações, não condicionarão o nosso programa", respondeu.

Rejeitando que alguma vez tenha afirmado que a sua candidatura era apartidária, Rui Moreira garantiu que este não um movimento "contra os partidos".

"Nós aceitamos apoios, desde que venham de setores democráticos, sejam eles de partidos, sejam eles de instituições, sejam eles de associações. Não temos nenhum problema. Agora há uma questão: não nos condicionarão", enfatizou.

Questionado sobre as declarações do porta-voz da candidatura de Luís Filipe Menezes - que disse que este apoio do CDS-PP mostra que "a candidatura de Rui Moreira é partidária" - o empresário foi perentório: "eu não comento as declarações do representante do Governo".

Interrogado sobre se irá reunir com o partido, Rui Moreira respondeu não ter "que reunir nem com a concelhia do CDS nem com ninguém", explicando que tem "recebido muito apoio", mas que não pode "falar com todas as pessoas que querem apoiar".

Sobre o romper da coligação PSD/CDS-PP que há 12 anos lidera a Câmara do Porto, o candidato independente escusou-se a comentar esta matéria ou fazer "leituras políticas sobre os partidos políticos", considerando que esta pergunta tem que ser feita "ao CDS e aos seus representantes".

Sobre os recentes cortes anunciados pelo Governo, Rui Moreira manifestou-se muito preocupado com a situação atual, considerando que esta "explica a razão pela qual a principal preocupação desta candidatura é a coesão social".

"Os próximos tempos, independentemente das promessas que se possam fazer relativamente a questões megalómanas não coincidem com a realidade. Estamos a entrar numa situação de emergência social e portanto os municípios têm, antes de mais nada, que valer às necessidades primárias dos seus cidadãos. É pena que assim seja mas infelizmente não me surpreende", concluiu.