Autárquicas 2013

PSD/Porto diz que desfiliação de vereadora de Rui Rio é "irrelevante"

PSD/Porto diz que desfiliação de vereadora de Rui Rio é "irrelevante"

Os líderes concelhio e distrital do PSD/Porto consideram a saída do partido da vereadora Guilhermina Rego como "irrelevante" acusando-a de ingratidão e de "querer manter um lugar na vereação" ao integrar a lista do independente Rui Moreira à autarquia.

Em declarações à agência Lusa, esta quinta-feira, depois de a vereadora do executivo de Rui Rio ter anunciado a desfiliação por não concordar com a escolha de Luís Filipe Menezes como candidato à autarquia portuense, Virgílio Macedo, líder distrital social-democrata, considerou que esta saída não evidencia nenhuma divisão no seio do PSD.

Por sua vez, Ricardo Almeida, líder da concelhia social-democrata disse que Guilhermina Rego, com a atitude que tomou, "não respeitou a maioria dos militantes", que aprovaram o nome de Menezes.

"Em termos partidários, a Dra. Guilhermina Rego não tinha relevância porque estava já afastada do partido", afirmou Virgílio Macedo.

Para o responsável do PSD no distrito do Porto, "não há nenhuma candidatura unanimista e a do Dr. Menezes também não a é". Acrescentou que prefere uma candidatura "que não seja unanimista, mas que seja vencedora e responda aos interesses da população".

Por isso, Virgílio Macedo entende que esta saída não evidencia nenhuma divisão no seio do PSD.

Além da desfiliação do PSD, Guilhermina Rego anunciou que vai integrar a lista do candidato independente à autarquia portuense Rui Moreira.

Segundo Virgílio Macedo, esta decisão prova que Guilhermina Rego "apenas quer manter um lugar na vereação".

Já Ricardo Almeida salientou o "tom" com que a vereadora abandona o PSD.

"Lamento o tom provocatório com que ela sai do partido que sempre lhe deu tudo", disse, reforçando a ideia de Macedo de que Guilhermina Rego "só existe politicamente graças ao PSD".

Ricardo Almeida, que integra a lista de Luís Filipe Menezes à Câmara do Porto, considerou ainda que o "tom de saída" da vereadora "revela desespero numa altura em que o PSD lidera as sondagens com destaque".

Guilhermina Rego explicou, em comunicado enviado à Lusa estar "convicta" de que a intenção de Menezes no Porto é fazer o mesmo que fez em Vila Nova de Gaia.

"Ignorar todo e qualquer rigor financeiro na futura gestão da nossa cidade", apontou a vereadora.

A posição de Guilhermina Rego surge dois dias depois de o presidente da Câmara do Porto ter afirmado, que não poderia apoiar nem votar no candidato social-democrata à autarquia portuense, Luís Filipe Menezes, e ter criticado o PSD pela escolha "que vai destruir tudo o que foi feito" na cidade.

"Se apoiasse Luís Filipe Menezes era hipócrita. Se não dissesse nada era oportunista. Todos os dias faz promessas e promessas e promessas (...). Tenho a obrigação ética de me demarcar muito claramente do candidato que vai destruir tudo o que foi feito. Isto descredibiliza os partidos", lamentou Rui Rio, numa entrevista à RTP1.

Outros Artigos Recomendados