Autárquicas 2013

Tribunal considera inelegível candidato do PSD a Mesão Frio

Tribunal considera inelegível candidato do PSD a Mesão Frio

O Tribunal de Mesão Frio considerou inelegível o candidato social-democrata Marco Teixeira Silva à Câmara de Mesão, o qual afirmou à agência Lusa que vai recorrer desta decisão.

A munícipe de Mesão Frio Maria Odete Mangas apresentou um pedido de impugnação da candidatura de Marco Teixeira da Silva, que se recandidata à autarquia a que presidiu durante cinco mandatos e depois de ter perdido as eleições há quatro anos.

Maria Odete Mangas alegou a incompatibilidade desta candidatura com o facto de o antigo autarca ter sido condenado pela prática do crime de denegação de justiça.

O Tribunal de Mesão Frio concluiu pela inelegibilidade do candidato que encabeça a lista do PSD.

Marco Teixeira Silva afirmou que vai apresentar recurso. O candidato diz que não concorda com a decisão da "juíza de turno", até porque, segundo fez questão de frisar, "nem sequer perda de mandato" teve.

O responsável explicou que foi condenado numa questão administrativa que opôs a munícipe aos serviços camarários, apenas porque era o presidente da câmara na altura.

"Eu fui condenado no pagamento de uma indemnização à senhora, mas não fui condenado em perda de mandato. Tanto é que eu estou a exercer neste momento o meu lugar de vereador", sustentou.

PUB

Marco António Silva referiu ainda que não foi ouvido pela juíza que decidiu a sua inelegibilidade. "Julgo que a senhora doutora juiz que decidiu isto não estaria na posse de todos os elementos e vai tê-los agora. Acredito que o recurso será ganho e, se não for ganho, vamos para o Constitucional", salientou.

Em 2009, o candidato do PSD perdeu as eleições em Mesão Frio por oito votos para o atual presidente eleito pelo PS, Alberto Pereira.

Agora, Marco Teixeira Silva considera que a "reclamação, que de uma forma cobarde é feita através de uma munícipe, reflete bem o nervosismo que reina do lado de lá".

"E para mim isto é um bom sinal. É um sinal que as pessoas pretendem ganhar na secretaria aquilo que já viram que não conseguem ganhar dentro do campo", sublinhou.

O social-democrata disse ainda que aceitou o desafio de se recandidatar a esta autarquia por causa do "clima de medo instalado".

"Eu recuso-me viver numa terra assim e, portanto, atendendo a que senti muito apoio e sinto que as pessoas querem mudar isto, e que me é dito que sou a pessoa melhor colocada para repor um certo estado de coisas em Mesão Frio", acrescentou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG