Notícias

MAI garante que tudo foi feito para que acto eleitoral decorra com normalidade

MAI garante que tudo foi feito para que acto eleitoral decorra com normalidade

O ministro da Administração Interna, Rui Pereira, garantiu esta quinta-feira que tudo foi feito para assegurar que as eleições legislativas do próximo domingo decorram com normalidade e apelou à participação dos portugueses.

"Posso garantir que tudo fizemos para que o acto eleitoral decorra com toda a normalidade", declarou Rui Pereira, em Leiria, onde hoje inaugurou a exposição "Ministros do Reino à Administração Interna".

O governante, que disse esperar que as eleições decorram "com plena normalidade", reiterou que o ministério que tutela fez "tudo para que os eleitores estejam bem informados, para que não haja nenhum problema no exercício do direito de voto".

"E tudo significou que os dirigentes e todos os colaborares da Direcção-Geral da Administração Interna ligados à Administração Eleitoral deram o seu melhor no sentido de informar, de preparar o ato eleitoral", continuou.

Nas últimas eleições presidenciais, realizadas a 23 de Janeiro, um número indeterminado de eleitores, portadores do cartão do cidadão, não conseguiu exercer o seu direito de voto.

O ministro da Administração Interna acrescentou que espera, também, que "o povo português, mais uma vez, dê prova da sua maturidade democrática, exercendo em condições de paz, de tranquilidade, o seu direito de voto".

Questionado sobre o anúncio de vários boicotes eleitorais, Rui Pereira fez um apelo à participação dos eleitores.

"Apelo a todos os cidadãos para que participem no ato eleitoral porque o direito de voto foi um direito conquistado arduamente, faz parte do acervo da nossa democracia e é sempre um erro substituir o exercício livre e consciente do direito de voto por um boicote", sublinhou, pedindo "a todos os portugueses que não vão por esse caminho".

Rui Pereira considerou que "o que é correto em democracia é exercer o direito de voto, exprimir a escolha de cada um e não ir por um caminho que não se coaduna com um Estado de direito democrático".

A exposição hoje inaugurada inclui os retratos e as biografias de 144 políticos que passaram pelo Ministério da Administração Interna, no passado com outras designações, começando com Francisco de São Luís Saraiva, também conhecido como Cardeal Saraiva, e terminando em 2007, com António Costa, actual presidente da câmara de Lisboa.

A mostra, do período compreendido entre 1834 e 2009, pretende perpetuar a memória das personalidades e está patente até ao final do mês no Teatro José Lúcio da Silva.

Na inauguração, esteve, também, o ex-ministro da Administração Interna Alberto Costa, que tutelou igualmente a Justiça e é actual número dois do PS pelo Círculo de Lisboa às eleições de domingo.

Outros Artigos Recomendados