Legislativas 2011

Ex-ministro Manuel Pinho diz que "se perdeu a vergonha"

Ex-ministro Manuel Pinho diz que "se perdeu a vergonha"

Manuel Pinho disse, hoje, à noite, em Santa Maria da Feira, que "vivemos num clima em que se perdeu a vergonha, com ataques pessoais inacreditáveis".

O ex-ministro da Economia, que participou no comício do PS, afirmou que "há uma crise moral muitíssimo maior do que a crise económica" e avisou que o país tem de ter cuidado com a sua imagem.

Pinho, que saiu do Governo após o episódio dos "corninhos", no Parlamento, acrescentou que o chumbo do PEC IV, pelos partidos da Oposição, significou transformar "um livre directo num penálti".

"Só espero que no domingo o país não piore a sua imagem", acentuou, acrescentando que Portugal não pode eleger um primeiro-ministro que nem secretário de Estado foi, nem ter um presidente da Assembleia da República que, há dois anos, foi mandatário do Bloco de Esquerda.

Falando sempre num tom bem humorado, Manuel Pinho revelou que "tinha feito três promessas: Que nunca mais via um telejornal, e cumpri; que nunca participaria em debates de ex-políticos, e cumpri; que nunca mais participaria num comício, e essa não cumpri. Não podia deixar de dar o meu apoio ao PS e a José Sócrates."

No final, destacou que o líder socialista "é um político respeitado internacionalmente, um político de visão e com coragem, porventura o político dos últimos cem anos que mais injusta e pessoalmente foi atacado".