Presidenciais 2011

Cavaco vence folgadamente as presidenciais

Cavaco vence folgadamente as presidenciais

A mais do que confortável reeleição de Cavaco Silva nas eleições de Janeiro próximo é o que indicia a sondagem da Universidade Católica para o JN, o DN, a RTP e a Antena 1.

O candidato apoiado pelo PSD e pelo CDS obteria 63% dos votos, se os eleitores fossem hoje chamados às urnas. A perspectiva de uma segunda volta está, assim, posta de parte. Tanto mais que Manuel Alegre apresenta uma percentagem - 20% - muito próxima da obtida em 2006.

As intenções de votos nos restantes candidatos conhecidos são quase residuais. Fernando Nobre atinge 7%, enquanto Francisco Lopes, que conta com o apoio do PCP, não passa dos 3%. Defensor Moura, com apenas um ponto percentual, nem sequer belisca Manuel Alegre, candidato oficial do seu partido, o PS.

Ficha Técnica

Esta sondagem foi realizada pelo Centro de Estudos e Sondagens de Opinião da Universidade Católica Portuguesa (CESOP) para a Antena 1, a RTP, o Jornal de Notícias e o Diário de Notícias entre os dias 23 e 25 de Outubro de 2010. O universo alvo é composto pelos indivíduos com 18 ou mais anos recenseados eleitoralmente e residentes em Portugal Continental. Foram seleccionadas aleatoriamente dezanove freguesias do país, tendo em conta a distribuição da população recenseada eleitoralmente por regiões NUT II (2001) e por freguesias com mais e menos de 3200 recenseados. A selecção aleatória das freguesias foi sistematicamente repetida até os resultados eleitorais das eleições legislativas de 2002 e 2005 nesse conjunto de freguesias, ponderado o número de inquéritos a realizar em cada uma, estivessem a menos de 1% do resultados nacionais dos cinco maiores partidos. Os domicílios em cada freguesia foram seleccionados por caminho aleatório e foi inquirido em cada domicílio o mais recente aniversariante recenseado eleitoralmente na freguesia. Foram obtidos 1140 inquéritos válidos, sendo que 56% dos inquiridos eram do sexo feminino, 33% da região Norte, 20% do Centro, 37% de Lisboa e Vale do Tejo, 6% do Alentejo e 5% do Algarve. Todos os resultados obtidos foram depois ponderados de acordo com a distribuição da população com 18 ou mais anos residentes no Continente por sexo e escalões etários, na base dos dados do INE, e por região e habitat na base dos dados do recenseamento eleitoral. A taxa de resposta foi de 43,9%*. A margem de erro máximo associado a uma amostra aleatória de 1140 inquiridos é de 2,9%, com um nível de confiança de 95%.

* A taxa de resposta é estimada dividindo o número de inquéritos realizados pela soma das seguintes situações: inquéritos realizados; inquéritos incompletos; não contactos (casos em que é confirmada a existência de um inquirido elegível mas com o qual não foi possível realizar a entrevista); e recusas. 

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG