Portugal

Jornalistas portugueses assaltados por polícias na Ucrânia

Jornalistas portugueses assaltados por polícias na Ucrânia

Uma equipa de reportagem de "A Bola" foi vítima de extorsão por parte da polícia ucraniana, pouco depois do final do duelo entre Portugal e a Dinamarca, na passada quarta-feira, em Lviv.

Nuno Paralvas e André Alves deixaram a Arena Lviv, onde decorreu o jogo do Grupo B, pouco depois das 23 horas (em Portugal continental) e rumaram ao centro da cidade para jantar e, no final da refeição, dirigiam-se de carro para o hotel quando foram mandados parar pela polícia.

O agente começou por apontar para o tampão de uma das rodas da viatura alugada, que se encontrava partido, e depois o condutor foi sujeito a um teste de alcoolemia bastante peculiar, apenas soprando para a face do polícia. Num inglês rudimentar, o agente disse "vodca, vodca" e indicou que seriam necessárias análises ao sangue.

A equipa de reportagem foi obrigada a entrar no carro da polícia, que andou nas ruas de Lviv durante cerca de uma hora à medida que os polícias iam dizendo "money, money" (dinheiro, dinheiro), chegando a pedir que os jornalistas fossem levantar dinheiro para pagar 500 euros. Acabaram por conseguir extorquir 150 euros, libertando os repórteres quando o dia já começava a nascer na Ucrânia.

O jornal "A Bola" comunicou o sucedido à UEFA, Federação Portuguesa de Futebol e, também, à embaixada ucraniana em Portugal.

Outras Notícias