Rock In Rio

"Já vi mais de 20 concertos do Bruce Springsteen"

"Já vi mais de 20 concertos do Bruce Springsteen"

Bandeiras dos Estados Unidos da América e t-shirts coçadas de diferentes digressões de Bruce Springsteen indicam o homem que todos querem ver nesta última noite de Rock in Rio. "The Boss" está de volta a Portugal, 19 anos depois.

Carlos Ribeiro tem 41 anos e começou a ouvir Bruce Springsteen com 14. Desde então, essa paixão pelo cantor norte-americano não mais o largou. Corre a Europa apenas para o ver e garante que o esforço compensa: "Tudo vale a pena para ver um concerto."

"Já vi mais de 20 concertos, já perdi a conta. Comecei a vê-lo em 1992, em Barcelona, depois vi-o em 1993 em Alvalade e, desde então, já o vi em Espanha, França, Itália, Inglaterra, na Alemanha, Holanda, em muitos sítios", conta este portuense a residir na Holanda.

A magia de Springsteen, não sabe explicar, mas assegura que só de vê-lo entrar em palco fica "todo arrepiado".

Palavras de um homem que garante ter passado semanas "a pão e água para ver o Bruce", ter pernoitado à porta de estádios, arenas e campos de futebol, ou mesmo na rua por ter ficado sem dinheiro para pagar o alojamento. "Foi num concerto em Barcelona. Havia uma greve de camionistas, o material do Bruce não chegou a tempo, então o concerto foi adiado e tive de dormir na rua porque já não tinha dinheiro para a pensão".

A guardar lugar na fila da frente do Palco Mundo desde o início da tarde, espera que este espetáculo seja tão bom como todos os outros que tem visto. "Uma das coisas de que mais gosto na vida é dos concertos de Bruce Springsteen", resume.

Os fãs de Springsteen não querem perder pitada do espetáculo desta noite, por isso vão estar até às 23.40 horas em frente ao palco principal para ver o seu ídolo. O sol está abrasador, mas nada que os demova.

Do Porto para a linha da frente do Palco Mundo veio Cristina Ferra, membro do clube de fãs português de Bruce Springsteen - bruce pt - , acompanhada por alguns amigos que partilham a mesma admiração pelo "The Boss", como também é conhecido Springsteen.

Para Cristina, os encantos de Springsteen são fáceis de explicar: "Tem músicas que são poemas autênticos e depois escreve sobre temas importantes como a crise económica, não só sobre temas mais vulgares, como outros artistas. Escreve canções profundas, com sentido. E depois é tudo aquilo que ele é como ser humano."

Paris, Santiago de Compostela, Bilbau e Barcelona são cidades por onde Cristina já passou para ver Springsteen. No concerto de Barcelona esteve tão perto do ídolo que até lhe arrancou um botão do colete.

"Foi um pequeno incidente. Ele veio a um dos palcos pequeninos e eu agarrei-o, puxei-lhe o colete e, sem querer, rebentei-lhe um botão. Ele levantou-se e achou aquilo muito engraçado", conta.

Se pudesse trocar duas palavras com o ídolo, diria apenas: "Bruce i love you."

Segundo a organização, até às 18 horas entraram 39 mil pessoas na "Cidade do Rock".