Covid-19

Alemanha espera ter este mês autorização para medicamento da Pfizer

Alemanha espera ter este mês autorização para medicamento da Pfizer

O Governo alemão espera que o medicamento Paxlovid, para tratar a covid-19 e que está em avaliação pelo regulador europeu, receba a autorização de emergência nacional ainda este mês, afirmou o ministro da Saúde.

"Estou confiante que até ao final deste mês vamos obter a autorização de emergência" para a utilização do medicamento oral da farmacêutica Pfizer, considerou Karl Lauterbach, em declarações ao diário "Welt".

De acordo com o ministro, o Instituto Federal de Medicamentos e Dispositivos Médicos está atualmente a preparar esta autorização nacional, o que vai permitir que a Alemanha possa administrar o Paxlovid antes mesmo da Agência Europeia de Medicamentos (EMA, na sigla em inglês) autorizar a sua utilização.

Em 16 de dezembro, a EMA anunciou a possibilidade de o Paxlovid, usado para o tratamento de pessoas que não estão ventiladas e que estejam em risco de desenvolver doença grave, ser autorizado pelas autoridades reguladoras nacionais.

"As autoridades nacionais poderão decidir sobre a possibilidade de uso do medicamento antes da autorização de introdução no mercado, por exemplo em situações de uso de emergência", adiantou a EMA em comunicado.

Lauterbach acrescentou ainda que o Ministério da Saúde já fechou um acordo com a Pfizer para o fornecimento de um milhão de unidades, com a opção de receber mais um milhão adicional para garantir uma cobertura previsível do medicamento.

As autoridades de saúde alemãs relataram 12.515 novas infeções em 24 horas e 46 mortes com ou de covid-19, em comparação com 10.100 e 88 na semana anterior, enquanto o número de casos ativos ronda os 636.200, de acordo com dados do Instituto Robert Koch (RKI) de virologia, atualizados na madrugada passada.

PUB

O RKI alerta, porém, que os dados podem estar incompletos devido à menor atividade de testagem e de notificação de casos durante os feriados de Natal e da passagem de ano, pelo que, nestes dias, os números irão dar um panorama incompleto da situação epidemiológica do país.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG