Covid-19

Brasil soma 513 mortos e 26106 novos casos em 24 horas

Brasil soma 513 mortos e 26106 novos casos em 24 horas

O Brasil somou 513 mortos e 26106 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, totalizando 158.969 óbitos e aproximando-se das 5,5 milhões de infeções (5.494.376).

De acordo com o último boletim epidemiológico do Ministério da Saúde, 373 das 513 mortes ocorreram nos últimos três dias, mas só foram incorporadas nos dados de quinta-feira, após confirmação da causa de óbito.

No momento, as autoridades de Saúde ainda investigam uma possível relação de 2.333 óbitos com a doença causada pelo novo coronavírus.

No Brasil, país lusófono mais afetado pela pandemia e um dos mais atingidos no mundo, 4.954.159 pessoas diagnosticadas já recuperaram da covid-19 e 381.248 pacientes infetados estão sob acompanhamento médico.

São Paulo, o estado mais rico e populoso do país, concentra 1.108.860 casos confirmados e 39.119 vítimas mortais, sendo o estado mais afetado. No lado oposto encontra-se o Acre, no norte do país, que totaliza 692 mortes e 30.638 infetados, sendo a unidade federativas brasileira com menor número de óbitos e infeções.

Já um consórcio formado pela imprensa brasileira, que colabora na recolha de informações junto das secretarias de Saúde estaduais, anunciou que o país somou 553 vítimas mortais e 26.647 casos confirmados nas últimas 24 horas, totalizando 5.496.402 infeções e 159.033 óbitos.

O Ministério da Saúde brasileiro informou que investirá 1,5 mil milhões de reais (222 milhões de euros) num programa de fortalecimento da vigilância epidemiológica, que prevê a ampliação de estruturas de alerta e resposta à atual pandemia.

Denominado "Vigiar SUS (Sistema Único de Saúde)", o programa pretende, entre outras metas, a ampliação, de 55 para 129, dos Centros de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (Cievs) e instalar câmaras refrigeradas, com sistemas de segurança, em todas as salas de vacinas dos municípios com mais 100 mil habitantes, em substituição dos tradicionais frigoríficos.

O executivo não avançou com prazos para a implementação das diversas metas apresentadas.

"Do ponto de vista de investimento, é o maior investimento em saúde da história do Ministério da Saúde do Brasil. De 1,5 mil milhões de reais. Muito significativo para o fortalecimento, ampliarmos e garantirmos uma capacidade de vigilância, atenção e resposta às emergências de saúde pública. Mudarmos a história, virarmos uma página, construirmos um caminho nunca antes trilhado", disse à imprensa o secretário de Vigilância em Saúde da tutela, Arnaldo Medeiros.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 1,1 milhões de mortos e mais de 44,5 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Outras Notícias