Brasil

 "Caça ao homem" para encontrar líder do Primeiro Comando da Capital que tinha sido libertado por juiz

 "Caça ao homem" para encontrar líder do Primeiro Comando da Capital que tinha sido libertado por juiz

A polícia brasileira montou uma "caça ao homem" para capturar André Oliveira Macedo, considerado um dos líderes do Primeiro Comando da Capital, que fugiu após ter sido libertado por ordem de um juiz, decisão revogada horas mais tarde.

Segundo o despacho do juiz do Supremo Tribunal Federal Marco Aurélio Mello, datado de 02 de outubro, mas que apenas foi divulgado na sexta-feira, André Oliveira Macedo estava detido desde setembro de 2019 sem uma condenação definitiva, prazo que excedeu o limite de tempo previsto na legislação brasileira para a prisão preventiva.

Contudo, horas depois de ter sido libertado de uma prisão de São Paulo, o presidente do Supremo Tribunal, Luiz Fux, suspendeu a decisão e ordenou o regresso imediato de André Oliveira Macedo à prisão.

As autoridades não deram quaisquer pormenores sobre a operação em curso para encontrar André Oliveira Macedo, considerado um dos líderes do Primeiro Comando da Capital, poderosa fação criminosa nascida nas prisões de São Paulo.

O governador de São Paulo, João Dória, já tinha criticado a decisão de libertar André Oliveira Macedo, considerando que se tratava de "uma condescendência inaceitável para os criminosos".

No despacho do juiz que ordenou a libertação era indicado que André Oliveira Macedo teria de permanecer "em residência indicada, atender as chamadas judiciais, informar possível transferência e adotar a postura que se aguarda do cidadão integrado à sociedade".

André Oliveira Macedo, também conhecido por André do Rap, foi detido em setembro de 2019 numa moradia de luxo em Angra dos Reis, a 150 quilómetros do Rio de Janeiro.

PUB

De acordo com as autoridades brasileiras, André Oliveira Macedo tem ainda ligações à máfia calabresa (Itália), sendo suspeito de comandar o envio de cocaína para a Europa.

Na detenção, as autoridades policiais apreenderam um helicóptero e um iate do suspeito.

André do Rap, procurado por tráfico internacional desde 2013, encontrava-se numa prisão de segurança máxima, no interior de São Paulo.

Condenado duas vezes em segunda instância por tráfico de drogas a penas que totalizam quase 26 anos de prisão efetiva, André Oliveira Macedo beneficiou de um 'habeas corpus' por não terem ainda sido esgotados todas as possibilidades de recurso.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG