imigração ilegal

França insiste na deportação de imigrantes ilegais de etnia cigana

França insiste na deportação de imigrantes ilegais de etnia cigana

Depois da polémica decisão de Sarkozy de desmantelar acampamentos e deportar inúmeros cidadãos romenos de etnia cigana em 2010, agora é a vez do ministro do Interior de François Hollande, Manuel Valls, de ser alvo de críticas por uma decisão semelhante.

Em 2010, a França estava a "ferro e fogo" com a polémica em torno do desmantelamento e deportação de inúmeros romenos de etnia cigana.

Sarkozy enfrentou a reprovação da União Europeia e do próprio partido face à decisão que tomara, mas agora a história volta a repetir-se. O ministro do Interior do Governo de François Hollande, Manuel Valls, já mandou desmantelar vários acampamentos ciganos por toda a França e deu ordem de deportação a 200 romenos da mesma etnia.

O ministro, para quem estas situações são um "desafio à convivência", tinha alertado para as pretensões do executivo que lidera há duas semanas. "Não posso admitir estes campos ilegais que acolhem centenas de pessoas sob o calor do verão e onde há problemas de saúde insuportáveis", disse Manuel Valls.

Assim, sob a justificação de problemas sanitários e de ordem pública, esta semana começaram os desmantelamentos de alguns acampamentos que a organização não governamental Médicos do Mundo diz serem propícios ao desenvolvimento da tuberculose. Só em Lille, 200 ciganos ficaram sem o campo que ocupavam há vários anos e outros tantos foram deportados, na quinta-feira, para a Roménia.

A maior deportação de imigrantes ilegais de Hollande

Os cidadãos romenos partiram do aeroporto Saint-Exupéry em Lyon, cidade que alberga a maior percentagem de pessoas de etnia cigana em França. Esta é a maior deportação de imigrantes ilegais no mandato de Hollande até ao momento, mas grupos de ativistas já se manifestaram contra o sucedido, que dizem estar a acontecer sob o "pretexto humanitário".

Jean-Philippe, um dos ativistas contra as deportações, afirma que os "refugiados nos acampamentos" estavam há "semanas" a ser "pressionados" para voltarem para o seu país de origem e que estes "retornos voluntários disfarçados são um desperdício de dinheiro público, uma vez que muitos acabam por regressar".

Os ativistas também chamaram a atenção para o facto de Hollande não estar a cumprir as suas promessas eleitorais, uma vez que os desmantelamentos dos acampamentos estão a ser feitos sem garantias de uma casa para as pessoas desalojadas.

O ministério de Manuel Valls desmente esta afirmação e garante que tudo está a ser feito com o conhecimento dos autarcas locais. No processo de deportação, o Governo francês deu 300 euros a cada adulto e 150 euros a cada criança romena de etnia cigana.

Outras Notícias