Síria

"A história não perdoará", diz autarca de Alepo leste

"A história não perdoará", diz autarca de Alepo leste

O presidente da câmara de Alepo Leste, Brita Haj Hassan, denunciou esta quinta-feira em Bruxelas o assassínio de mais de meio milhão de pessoas na cidade síria, salientando que "a história não perdoará".

"Já foram assassinadas mais de meio milhão de pessoas e mais de 12 milhões foram forçadas a emigrar", disse Haj Hassan, no final de um encontro com o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk.

"A história não perdoará, a história está a registar o que se passa, a registar este silêncio internacional perante os crimes contra a humanidade", denunciou.

Para Haj Hassan, a solução é haver uma "coação forte que force o regime e as milícias iranianas no terreno a respeitarem o cessar-fogo e a organização de saídas seguras para os civis".

"Não sou um político, sou uma pessoa que tenta representar outros seres humanos", acrescentou o autarca, denunciando que "dezenas de massacres são perpetrados todos os dias" na cidade síria, "uma das mais antigas no mundo".

"O silêncio da comunidade internacional faz-me chorar", acrescentou, sublinhando que o povo de Alepo "exige justiça, proteção e ajuda para os civis, em nome da humanidade e dos direitos humanos".

PUB

Haj Hassan denunciou ainda que hoje mesmo, durante as tréguas para evacuação da cidade, "uma pessoa foi morta e outras três feridas a tiro".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG