Egito

A "Pirâmide Torta" e as múmias com quatro mil anos

A "Pirâmide Torta" e as múmias com quatro mil anos

O Egito abriu ao público uma pirâmide pouco habitual, depois de o acesso ao seu interior ter estado vedado durante décadas. Na mesma região de Dahshur, foram ainda encontrados sarcófagos com múmias que datam de há cerca de quatro mil anos.

Desde 1965 que a "Pirâmide Torta" e uma outra, mais pequena, nas proximidades, a sul do Cairo, não eram visitáveis pelo público e reabrem agora, depois de terem sofrido obras de restauro.

Segundo revelou o ministro egípcio das Antiguidades, Khaled el-Anany, a "Pirâmide Torta", localizada na necrópole de Dahshur, foi construída pelo faraó fundador da quarta dinastia, Sneferu, e terá cerca de 4600 anos. É uma das duas construções deste faraó na região.

A particularidade da sua construção reside no facto de os primeiros 49 metros terem sido construídos com um ângulo de 54 graus, que depois são atenuados na secção final. Os arquitetos mudaram o ângulo, quando rachadelas começaram a aparecer na estrutura, disse Mostafa Waziri, secretário-geral do Conselho Supremo de Antiguidades do Egito.

A forma angular da construção contrasta com as paredes lisas da Pirâmide Vermelha de Sneferu a norte, a primeira das pirâmides totalmente formadas do Egito antigo, e é considerada um passo em direção à construção da Grande Pirâmide de Gizé.

A tentar promover o turismo na região de Dahshur, onde se situa esta construção, o Egito revelou ainda uma coleção de sarcófagos de vários materiais, como pedra, madeira e barro, com múmias "em bom estado" que datam de há cerca de quatro mil anos.​​​​​

Foi ainda apresentada uma coleção de sarcófagos, máscaras funerárias e ferramentas para o corte de pedra, que data do período mais recente e foi encontrada a cerca de 300 metros da pirâmide do faraó Amenemhat II.