Mundo

Aberto inquérito sobre "práticas" da BBC após escândalo de abusos sexuais

Aberto inquérito sobre "práticas" da BBC após escândalo de abusos sexuais

Um inquérito sobre "as práticas e a cultura" da BBC foi. esta segunda-feira, aberto na sequência do escândalo de abusos sexuais alegadamente cometidos pelo apresentador Jimmy Savile, uma das antigas estrelas da estação pública britânica.

As investigações vão ser coordenadas por uma antiga juíza do Tribunal de Recurso, Janet Smith, indicou a BBC na sua página na Internet.

O inquérito será focado "nas práticas e na cultura da BBC durante os anos em que Jimmy Savile trabalhou [na empresa] e depois", segundo a estação estatal.

A investigação pretende determinar se a proteção prestada pelo grupo estatal britânico de comunicação social a menores e as suas políticas de alerta são adequadas.

O escândalo de Savile acabou por questionar a forma de atuação da BBC, com o grupo estatal a enfrentar acusações de encobrimento.

No passado dia 03 de outubro, um documentário do canal ITV revelou depoimentos de várias vítimas de abusos sexuais cometidos alegadamente por Savile, que morreu em outubro de 2011 aos 84 anos.

Durante quatro décadas, a antiga estrela da BBC terá abusado de algumas centenas de mulheres e de jovens menores de idade.

O documentário foi transmitido depois de a BBC ter rejeitado, em dezembro de 2011, dois meses depois da morte do apresentador, uma reportagem do programa "Newsnight" que exibiu testemunhos de dez alegadas vítimas de Savile.

A Scotland Yard (polícia britânica) identificou até à data mais de 300 alegadas vítimas de abusos cometidos pelo ex-apresentador e os investigadores estão a verificar mais de 400 "pistas".

O inquérito liderado por Janet Smith arrancou um dia depois de a polícia ter detido o cantor de rock Gary Glitter, no âmbito da investigação sobre Savile.

Glitter, que foi entretanto libertado sob fiança, foi condenado no Vietname, em 2006, por ter cometido "atos obscenos com crianças".

O cantor já tinha sido processado no Reino Unido por posse de pornografia infantil.

O presidente da BBC Trust (entidade independente da estação que verifica se o operador cumpre as funções de serviço público), o ex-governador de Hong Kong Chris Patten, assegurou hoje que está empenhado em descobrir a verdade sobre o escândalo, tendo pedido desculpas "sem reservas" às mulheres que foram vítimas de Savile e testemunharam para a reportagem do "Newsnight".

Em declarações proferidas no domingo, Chris Patten alertou que o grupo BBC "arrisca-se a perder a confiança do público" por causa do escândalo.

Savile, conhecido por programas como "Top of the Pops" e "Jim'll Fix It", também era um reconhecido filantropo.