Espanha

Abstenção em espanha pode ser a mais elevada desde 2000

Abstenção em espanha pode ser a mais elevada desde 2000

A eleição legislativa deste domingo em Espanha poderá registar a abstenção mais elevada desde 2000, segundo os avanços de participação oficiais que confirmam que, a duas horas do fecho das urnas apenas tinha votado 57,66 por cento dos eleitores.

Às 18:00, e com dados de 100 por cento das quase 60 mil mesas eleitorais, a votação registada era, comparativamente, a mais baixa desde 2000, ano em que José Maria Aznar conquistou a sua maioria absoluta para o PP.

Este dado representa menos 3,2 pontos percentuais do que o que se registava à mesma hora nas eleições legislativas de 2008, em que o PSOE liderado por José Luis Rodríguez Zapatero renovou Governo.

Se este número se mantiver, Espanha poderá registar uma das abstenções mais elevadas dos últimos anos.

Em 2004, ano da chegada ao poder de José Luis Rodríguez Zapatero (PSOE), a participação às 18 horas era de 63 por cento, valor que caiu para 61 por cento, à mesma hora, em 2008, voto também ganho pelos socialistas.

Globalmente, e tendo em conta o balanço final ao fecho das urnas, a abstenção mais baixa registada em Espanha ocorreu nas eleições de 1979, quando votaram apenas 68 por cento dos eleitores, sendo a participação mais elevada a de 1977, quando participaram 78,8 por cento dos eleitores.

Pilar Galego, sub-secretária do Ministério do Interior, explicou aos jornalistas no centro de acompanhamento eleitoral, instalado no Palácio de Congressos, em Madrid, que apesar de ser menor do que em 2008, a participação é mais elevada, a esta hora, do que ocorria nas eleições regionais de Maio, quando tinham votado apenas 49,19 por cento.

Segundo revelou a sub-secretária do Ministério do Interior, a cidade de Melilla era a região espanhola que às 18 horas registava a menor participação, de apenas 40,07 por cento, com a província de Ávila a registar a maior participação, 63 por cento e o País Basco a registar mais votantes que em 2008 (56,08 contra 53,42 por cento).

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG