Mundo

ADN prova que menina loura resgatada de acampamento cigano irlandês é da família

ADN prova que menina loura resgatada de acampamento cigano irlandês é da família

Os testes de ADN provam que a menina de sete anos retirada, na segunda-feira, a uma família de etnia cigana em Dublin, na Irlanda, faz mesmo parte da família.

A polícia irlandesa foi informada de que uma menina de sete anos vivia num acampamento cigano na Irlanda. Loira, de olhos azuis, distinguia-se dos supostos irmãos.

Os pais alegaram que a criança tinha nascido no hospital Coombe, em Dublin, em Abril de 2006. Contactada pela polícia, aquela unidade hospitalar da capital irlandesa disse não ter registo de qualquer nascimento na data referenciada.

A criança, que vivia com a família em Tallaght, na sul de Dublin, foi levada pela polícia e ficou à guarda das autoridades.

O caso, que está a ser investigado, tem semelhanças com o de "Maria", um menina loira de olhos azuis que foi encontrada num acampamento cigano de Farsala, na Grécia.

Os testes de ADN provaram que os adultos que diziam ser pais de Maria não têm qualquer relação de parentesco com a criança, atualemnte no centro de uma busca a nível internacional. A Interpol já confirmou que a menina não está na lista de crianças desaparecidas, o que adensa o mistério.