Mundo

Adolescente detida por triplo homicídio

Adolescente detida por triplo homicídio

Uma norte-americana, de 16 anos, foi detida e acusada de triplo homicídio. A adolescente, que assassinou uma mãe e dois filhos e incendiou a casa para encobrir as mortes, confessou os crimes às autoridades.

A detenção ocorre quase três meses depois dos corpos de Amanda Doss, de 34 anos, Texas Johnson, de 8, e Guinivere Doss, de 11, terem sido retirados dos escombros fumegantes da sua casa em Bowie County, no Estado norte-americano do Texas.

As autópsias confirmaram que as três vítimas morreram de ferimentos violentos antes do incêndio, que os investigadores acreditam ter sido ateado para destruir as provas do triplo homicídio.

As autoridades não tinham suspeitos , até que receberam uma chamada telefónica, na passada sexta-feira.

James Prince, chefe da polícia de Bowie County, contou que uma mulher, que estava muito perturbada e a chorar, afirmou conhecer o autor das três mortes. Tratava-se da própria filha, que lhe tinha confessado os homicídios.

Os investigadores foram imediatamente à sua casa e entrevistaram a norte-americana, de 16 anos, que, segundo a mesma fonte policial, foi capaz de fornecer detalhes que só alguém que estivesse na cena do crime e envolvido no assassinato, teria conhecimento.

Ainda não foram revelados detalhes sobre o motivo dos crimes, mas sabe-se que a jovem era uma conhecida da família.

Segundo a estação de televisão do Texas "KLTV 7", o Ministério Público pretende obter o certificado de maioridade da adolescente, para esta enfrentar a pena de morte.

O chefe da polícia diz que não são esperadas mais detenções e que a comunidade pode finalmente retornar à tranquilidade, agora que o assassino não está à solta.

No decorrer das investigações, a recompensa por informações que levassem à captura ou condenação dos homicídios atingiu valores próximos dos 150 mil dólares (cerca de 100 mil euros).

A mãe que denunciou a filha disse às autoridades que não estava interessada em receber o dinheiro da recompensa.

A jovem, cuja identidade permanece desconhecida, está presa num centro de detenção juvenil, não revelado pela polícia.