Mundo

Advogada de Lindemberg Alves pede anulação de julgamento

Advogada de Lindemberg Alves pede anulação de julgamento

A advogada de Lindemberg Alves, condenado na quinta-feira a 98 anos de prisão pelo assassínio da ex-namorada e pelo sequestro mais longo de sempre em São Paulo, diz que vai pedir a anulação do julgamento.

A defensora Ana Lúcia Assad afirma que o "estafeta" de 25 anos cometeu um homicídio culposo (não intencional), e não doloso (com intenção de matar).

Alves foi condenado após um júri popular, reunido durante quatro dias, por 12 crimes, entre os quais homicídio qualificado, tentativa de homicídio, sequestro e disparo de arma de fogo.

Em Outubro de 2008, Lindemberg Alves Fernandes entrou no apartamento em que a ex-namorada Eloá Pimentel, então com 15 anos, morava, em Santo André (região metropolitana de São Paulo), e manteve-a sequestrada juntamente com três colegas que estudavam com ela.

Após cerca de cem horas de cativeiro, Eloá levou dois tiros e sua amiga Nayara Rodrigues da Silva, um. A ex-namorada do condenado morreu no dia seguinte, a amiga sobreviveu.

O crime foi emblemático em São Paulo pela violência envolvida e pelas críticas à acção da polícia e da imprensa, que chegou a entrevistar o agora condenado durante a realização do crime.