França

Advogado com covid-19 faz adiar julgamento de Sarkozy

Advogado com covid-19 faz adiar julgamento de Sarkozy

O julgamento do antigo presidente da República, Nicolas Sarkozy, no "Caso Bygmalion", que deveria começar esta quarta-feira, foi adiado para 20 de maio devido à hospitalização de um dos advogados infetado com a doença covid-19.

A decisão foi conhecida ao final da tarde, após vários advogados de diferentes réus terem insistido para o adiamento do julgamento devido à hospitalização de um dos colegas, pelo que o ex-presidente será julgado entre 20 de maio e 22 de junho no Tribunal Criminal de Paris.

O advogado hospitalizado defende Jérôme Lavrilleux, ex-diretor adjunto da campanha de Sarkozy, que foi o primeiro a confessar ter participado num vasto golpe com base em faturas falsas, despesas desvalorizadas e despesas voluntariamente omitidas das contas submetidas ao controlo final.

O ex-presidente francês foi condenado no passado dia 1 a três anos de prisão, um dos quais efetivo, por corrupção e tráfico de influência no chamado "Caso das Escutas".

Neste novo julgamento, Sarkozy enfrenta uma pena de até um ano de prisão e uma multa de 3.750 euros por "financiamento ilegal da campanha eleitoral".

O ex-presidente francês já afirmou, entretanto, que só comparecerá às audiências quando ele próprio for visado.

PUB

Ao contrário dos coarguidos, acusados nomeadamente de fraude ou cumplicidade, Sarkozy não é responsabilizado pelo sistema de faturas falsas, criado para ocultar os gastos excessivos da campanha.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG