Pandemia

África do Sul proíbe entrada de turistas de Portugal por ser de "alto risco"

África do Sul proíbe entrada de turistas de Portugal por ser de "alto risco"

Os turistas oriundos de Portugal não vão ser autorizados a entrar na África do Sul, quando o país africano reabrir as fronteiras internacionais na quinta-feira, anunciou, esta quarta-feira, o ministro do Interior sul-africano.

Portugal consta de uma lista de 57 países identificados como sendo de "alto risco", por terem taxas de infeção ou mortalidade mais altas do que a África do Sul, referiu o ministro Aeron Motsoaledi, em conferência de imprensa conjunta com outros membros do executivo sul-africano. No entanto, o governante adiantou que o executivo irá permitir o acesso a visitantes em negócios, investidores e académicos, mediante certos requisitos.

Todos os visitantes oriundos do continente africano serão também autorizados a entrar no país, mediante apresentação de um teste válido de covid-19 negativo e cumprimento de certos requisitos, foi anunciado.

Motsoaledi sublinhou que os vistos que expiraram durante o confinamento da covid-19 serão considerados válidos até 31 de janeiro de 2021, salientando que "as medidas de restrição serão revistas a cada duas semanas".

Na lista de países "alto risco" enumerados pelo ministro sul-africano, contam-se também o Brasil, Rússia, Suíça, Reino Unido, Holanda, Qatar, Estados Unidos da América, França, Índia, Israel e Venezuela. As autoridades sul-africanas consideraram a China como país de "baixo risco" devido ao "declínio do número de infeções".

A ministra dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Naledi Pandor, indicou que "à chegada ao país, os visitantes devem apresentar um teste PCR de covid-19, certificado por uma autoridade médica do país de embarque e válido por menos de 72 horas". A chefe da diplomacia sul-africana avançou que será também obrigatório a apresentação de um seguro de viagem que "salvaguarde a realização do teste à chegada ao país assim como os custos de quarentena, caso necessário". As autoridades sul-africanas vão requer ainda o preenchimento de um questionário de Saúde antes do embarque ou à chegada ao país e o uso de máscara "obrigatório". Em caso de não apresentação de teste válido de até 72 horas, referiu a ministra Naledi Pandor, "será obrigatório o cumprimento de um período de quarentena de 10 dias pago pelo próprio", à chegada ao país.

Outras Notícias