O Jogo ao Vivo

Brasil

Ágatha tinha oito anos e morreu com tiro da Polícia nas costas

Ágatha tinha oito anos e morreu com tiro da Polícia nas costas

É a 16.ª criança a ser baleada na Região Metropolitana do Rio de Janeiro, Brasil, e a quinta que não resistiu aos ferimentos. Ágatha Félix, de oito anos, morreu na sexta-feira com um tiro nas costas, durante uma operação policial no Complexo do Alemão.

"A minha neta estava armada, por acaso, para poder levar um tiro?", questionou à Polícia Airton Félix, avô da criança, num vídeo divulgado pelo Jornal Hoje. A voz de Airton foi apenas uma de muitas a insurgir-se contra aquela que se tem tornado regra em operações policiais nas periferias do Rio, onde traficantes e militares travam uma guerra que se arrasta há anos.

"Vai chegar amanhã e [dizer que] morreu uma criança num confronto. Que confronto? A mãe dela passou lá e viu que não tinha confronto. Com quem? Porque não tinha ninguém, não tinha ninguém. Atirou por atirar na Kombi. Atirou na Kombi e matou a minha neta. Foi isso. Isso é confronto?", afirmou o avô, citado pelo "El País".

A menina foi baleada nas costas na sexta-feira à noite, quando estava dentro de uma Kombi (carrinha da Volkswagen) com o avô e voltava para casa na comunidade da Fazendinha. Ágatha foi levada de urgência para o hospital, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

A plataforma Fogo Cruzado nota que Ágatha foi a 16.ª criança vítima de violência armada, este ano, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro, e a quinta que não resistiu aos ferimentos.

Em comunicado, a Polícia Militar informou que, por volta das 22 horas (locais) de sexta-feira (às 2 horas de sábado em Portugal continental), as equipas policiais foram atacadas em várias localidades da comunidade ao mesmo tempo e responderam a tiro. A Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP) vai abrir uma investigação para apurar as circunstâncias do ocorrido.

Segundo relatos de vizinhos citados pela agência de comunicação Voz das Comunidades, os polícias dispararam contra uma mota, mas a bala terá desviado e entrado no veículo, atingindo a criança.

Segundo o "El País", o Complexo do Alemão é palco de constantes confrontos armados devido à presença de gangues de traficantes que controlam o acesso. A guerra travada na comunidade já fez pelo menos seis mortos noutra operação policial realizada na última semana.