Covid-19

Ainda nenhum Estado-membro da UE pediu controlo nas fronteiras

Ainda nenhum Estado-membro da UE pediu controlo nas fronteiras

A Comissão Europeia indicou esta quinta-feira que, até ao momento, nenhum Estado-membro manifestou intenção de fazer controlos nas fronteiras para evitar a propagação do novo coronavírus, mas defendeu um "trabalho próximo" entre as autoridades de saúde e de segurança.

"Até ao momento, nenhum Estado-membro sinalizou a intenção de introduzir controlo nas fronteiras internas da União Europeia [UE]", anunciou a porta-voz do executivo comunitário Dana Spinant, falando na conferência de imprensa diária da Comissão Europeia, em Bruxelas.

De acordo com a responsável, esta foi a conclusão de uma videoconferência realizada na quarta-feira com autoridades dos Estados-membros, serviços da Comissão, Secretariado-Geral do Conselho da UE e representantes da Agência Europeia da Guarda de Fronteiras e Costeira (Frontex) relativamente à evolução do Covid-19.

Caso queiram implementar este tipo de medidas para evitar a propagação do novo coronavírus, têm de ser os próprios países da UE a avançar.

De acordo com Dana Spinant, da reunião resultou também a necessidade de "as autoridades de saúde e as que estão nas fronteiras continuarem a trabalhar de forma próxima".

A porta-voz recordou que, em Itália, está em curso uma missão conjunta do Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças (ECDC, na sigla em inglês) e da Organização Mundial de Saúde, para prestar apoio técnico às autoridades italianas, sendo este o Estado-membro da UE com mais casos registados de Covid-19.

"Após essa missão, e dependendo dos seus resultados e conclusões, o ECDC vai fazer uma nova avaliação do risco e a Comissão vai emitir recomendações aos viajantes [da UE] que se deslocam de ou para estas zonas mais afetadas", referiu Dana Spinant.

A responsável garantiu que "a Comissão vai continuar a trabalhar em várias frentes para responder ao surto, tanto a nível político, promovendo a troca de informação, como dando apoio técnico" no terreno. Dana Spinant precisou ainda que o ECDC tem uma equipa de 60 cientistas focados no novo coronavírus, que atua assim que um caso é confirmado na UE.

Até esta quinta-feira de manhã, registavam-se cerca de 82 mil casos de infeção e mais de 2800 mortos em todo o mundo. Na Europa existem, atualmente, cerca de 480 casos e 16 mortes, das quais 14 em Itália e duas em França.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG