Turquia

Alemanha considera "incompreensível" anulação de eleições em Istambul

Alemanha considera "incompreensível" anulação de eleições em Istambul

O ministro alemão dos Negócios Estrangeiros, Heiko Maas, considerou, esta terça-feira, incompreensível a anulação da vitória da oposição nas eleições municipais de Istambul.

A vitória da oposição foi invalidada na segunda-feira pelo Alto-Comité Eleitoral da Turquia (YSK), que ordenou a realização de novas eleições municipais em Istambul a 23 de junho.

A decisão foi tomada depois de o Presidente, Recep Tayyip Erdogan, ter denunciado a existência de irregularidades e ter reclamado a anulação do escrutínio.

"A decisão do Alto-Comité Eleitoral da Turquia de declarar inválido o resultado das eleições locais de Istambul e ordenar a realização de novas eleições não é transparente e é incompreensível", reagiu, em comunicado, o chefe da diplomacia alemã.

"Só a vontade dos eleitores turcos pode e deve decidir quem ocupará o cargo de presidente da câmara em Istambul", afirmou Heiko Maas.

"O respeito pelos princípios democráticos de base, em condições eleitorais transparentes, é, para nós, uma prioridade absoluta", concluiu o ministro alemão.

O Presidente turco considerou hoje que a anulação foi "a melhor decisão", insistindo na existência de irregularidades que terão manchado o ato eleitoral de 31 de março que deu a vitória por uma estreita margem ao candidato da oposição.

Após 16 anos no poder, o partido de Erdogan sofreu um grande revés nas municipais de março, quando a oposição ganhou os governos locais da capital, Ancara, e de Istambul, pondo fim ao controlo das duas cidades pelo partido AKP, que durava há décadas.

Esta derrota do AKP é explicada pela crise económica que se vive na Turquia, com a primeira recessão em dez anos, uma inflação de 20% e uma moeda em desvalorização.