Mundo

Aluna cria página na Net para denunciar problemas na escola

Aluna cria página na Net para denunciar problemas na escola

Uma menina brasileira de 13 anos ganhou notoriedade nos últimos dias graças ao seu "diário de classe" virtual, através do qual denuncia a infraestrutura precária de sua escola, no sul do Brasil.

"Eu Isadora Faber, que tenho 13 anos, estou a fazer esta página sozinha, para mostrar a verdade sobre as escolas públicas. Quero o melhor não só para mim, mas para todos", descreve a menina na abertura da página, criada em Julho deste ano na rede social Facebook.

Isadora é aluna do 7º ano da escola pública Maria Tomázia Coelho, localizada na cidade de Florianópolis, capital do estado de Santa Catarina, na região sul do Brasil.

A menina conta que a ideia surgiu quando soube que uma estudante estrangeira montou um blogue com fotos da comida do refeitório da instituição onde estudava.

Isadora, por sua vez, achou que os problemas da sua escola iam muito além da comida e resolveu relatar todas as questões que deixam muito a desejar, sabendo que são problemas que muitas outras instituições públicas do país enfrentam.

Entre as denúncias estão tomadas e fios desprotegidos, fechaduras e portas quebradas, bebedouros e ventiladores estragados, além de um vídeo sobre aulas caóticas.

A iniciativa recebeu amplo apoio dos estudantes e, em pouco mais de um mês, o "diário de classe" de Isadora conta com 97.167 "gosto" no facebook.

A atitude, no entanto, não agradou a professores e diretores, e a menina diz que tem sofrido represálias por parte das autoridades da escola.

Além de realizar seus próprios comentários, Isadora abriu espaço para que outros colegas façam denúncias, com envio de fotos e vídeos.

"Estamos à espera de um espaço coberto na escola desde a inauguração! Como podemos fazer educação física num dia de chuva? E no verão, com o sol a pino?", diz a legenda de uma das últimas fotos colocadas na página, na qual se vê um espacço para completamente molhado de chuva.

A ampla cobertura mediática que a página recebeu nos últimos dias chamou a atenção das autoridades locais que agenderam para hoje uma reunião entre a Secretaria de Educação de Santa Catarina e a direção da escola. A intenção é conferir se as denúncias de Isadora têm fundamento.