Segurança

Amazon proíbe TikTok nos telemóveis dos funcionários e recua horas depois

Amazon proíbe TikTok nos telemóveis dos funcionários e recua horas depois

A Amazon deu instruções aos funcionários no sentido de removerem o TikTok dos telemóveis, por causa de preocupações sobre a segurança. No mesmo dia, recuou: tinha sido "engano".

A multinacional norte-americana de comércio eletrónico enviou, esta sexta-feira de manhã, um e-mail aos funcionários, informando que passaria a ser proibido ter instalada a aplicação TikTok em dispositivos móveis com acesso ao e-mail da empresa. De acordo com a CNN, que teve acesso à missiva e falou com uma fonte conhecedora do caso, se a aplicação, baseada na criação de vídeos com dança e música, não fosse removida, seriam cortados os acessos ao e-mail. O comunicado interno invocava "riscos de segurança".

Mas, quase cinco horas depois, por volta das 18 horas locais (23 horas em Portugal continental), a Amazon inverteu a marcha, alegando que a comunicação aos trabalhadores tinha sido enviada por engano, escreveu o "The New York Times". "De momento, não há mudanças nas nossas políticas no momento em relação ao TikTok", comunicou a porta-voz da empresa, Kristin Brown, citada pelo jornal norte-americano.

Antes, em declarações à CNN, um representante do TikTok tinha garantido que a empresa não havia estabelecido contactos antes de avançar com a comunicação aos funcionários. "Ainda não entendemos as preocupações", disse, na altura, o porta-voz, apelando ao "diálogo", para que fosse possível "resolver quaisquer problemas que a empresa possa ter e permitir que a sua equipa continue a fazer parte" da comunidade do TikTok. "Estamos orgulhosos por dezenas de milhões de americanos recorrerem ao TikTok em busca de entretenimento, inspiração e conexão, incluindo muitos dos funcionários da Amazon que estiveram na linha de frente nesta pandemia", acrescentou.

Nos EUA, há quem tema ligações com a China

A orientação dada pela Amazon, e depois retirada, surge na sequência de alegações de políticos norte-americanos segundo as quais a aplicação pode prejudicar a segurança nacional, tendo em conta as ligações com a China. Ainda assim, os especialistas em segurança cibernética são mais cautelosos na avaliação. Até porque, mesmo sendo propriedade de uma empresa chinesa chamada ByteDance, a startup mais valiosa do mundo, o TikTok não opera na China, funciona como uma subsidiária independente e tem os servidores com base nos Estados Unidos, não sujeitos a leis chinesas. O TikTok tem-se, aliás, esforçado para fazer essa distinção, tendo nomeado recentemente um diretor-executivo norte-americano.

Antes da Amazon comunicar a proibição, agora sem efeito, do TikTok, já o Exército norte-americano o havia feito, impedido os militares de instalarem a aplicação. Além disso, algumas figuras políticas, como o senador Josh Hawley, propuseram a proibição do TikTok em todos os dispositivos do Governo norte-americano. O Comité Nacional Democrata recomendou mesmo a quem estiver a usar o TikTok para fazer campanha que use um telefone e uma conta pessoais.

Outras Notícias