EUA

FBI vasculhou mansão de Trump em busca de documentos sobre armas nucleares

Ana Isabel Moura

Donald Trump, ex-presidente dos EUA

Foto Shawn Thew / Epa

Buscas na casa do magnata, em Mar-A-Lago, na Florida, tinham como objetivo encontrar documentos com informações sobre armas nucleares. Segurança nacional dos EUA pode estar em causa.

Fontes próximas da investigação especificaram, em declarações ao jornal norte-americano "The Washington Post", que as buscas realizadas pelos agentes do FBI no início desta semana na casa de Donald Trump, na Florida, pretendiam encontrar documentos com informações sobre armamento nuclear.

O antigo presidente dos EUA terá levado os documentos para a residência não oficial quando perdeu as eleições para Joe Biden. No entanto, estes não foram os únicos documentos a serem desviados pelo republicano. No início de 2021, a Administração Nacional de Arquivos e Registos já tinha retirado da residência do magnata pelo menos 15 caixas com material pertencente à Casa Branca.

De acordo com o FBI, enquanto os documentos com informações sobre armamento nuclear não estiverem na posse dos Arquivos Nacionais, existe um risco elevado para a segurança nacional, sobretudo se caírem "nas mãos erradas". Ainda assim, não ficou esclarecido se esses documentos contêm informações sobre armas nacionais ou de outro país aliado dos EUA.

Apesar de, até agora, os detalhes da investigação estarem envoltos no segredo de justiça, o procurador-geral norte-americano Merrick Garland alega que é do "interesse público" que se fiquem a conhecer as razões que motivaram as buscas na mansão de Trump, informando que vai pedir aos tribunais que autorizem a divulgação pública do mandato.

O republicano já reagiu na Truth Social, rede social que criou após ser expulso do Twitter, ao pedido de Garland, dizendo que concorda com a divulgação, porém, o juiz só poderá tomar uma decisão depois de ouvir a perspetiva dos advogados de defesa. Caso o juiz, a quem foi feito o pedido, autorize a exposição pública do mandato de busca, ficará claro quais os indícios seguidos pelas autoridades para investigar o empresário.

Embora se mostre agora colaborativo, na última quarta-feira, um dia após o FBI ter realizado as buscas na sua mansão na Florida, o ex-presidente invocou a Quinta Emenda, recusando-se a responder a qualquer questão relacionada com uma outra investigação em que está envolvido, e que diz respeito a suspeitas de fraude fiscal em negócios imobiliários da Organização Trump.

O milionário norte-americano acusou as autoridades judiciais de "perseguição política", dando a entender que os agentes federais poderiam ter colocado provas na sua casa com o intuito de o incriminar.

Relacionadas