Guerra na Ucrânia

Filho do porta-voz do Kremlin "mobilizado" em partida: "Vou resolver o problema noutro nível"

JN / AFP

Dmitri Peskov, porta-voz do Kremlin

Foto Natalia Kolesnikova / Afp

Num vídeo que viralizou na Internet, o filho do porta-voz do Kremlin Dmitri Peskov, chamado Nikolai, ter-se-á recusado a ser mobilizado para a ofensiva russa na Ucrânia.

No vídeo, um bloguer telefonou ao filho do porta-voz russo, de 32 anos, ao vivo e apresentou-se como um recrutador do exército encarregado de convocar reservistas mobilizados após o anúncio do presidente Vladimir Putin.

"Uma intimação foi enviada hoje", diz Dmitri Nizovtsev, apresentador do "A política popular", um canal do YouTube criado por membros do círculo do opositor russo preso Alexei Navalny. "Amanhã, às 10 horas da manhã, terá de se apresentar num centro de convocação".

Nikolai parece confuso por um momento e depois responde: "Obviamente, não irei amanhã às 10 horas da manhã". "Tem de entender que, sendo um Peskov, não é certo eu estar lá. Vou resolver o problema noutro nível. Não tenho nenhum problema em defender a pátria. Mas primeiro tenho de entender o que posso fazer no que me diz respeito".

Esta quinta-feira, questionado sobre este vídeo, Dmitri Peskov disse aos jornalistas que está ciente do caso, mas garantiu que "o texto completo não foi publicado".

Na quarta-feira, Putin anunciou uma "mobilização parcial" envolvendo cerca de 300 mil reservistas com "experiência militar". Muitos russos temem, no entanto, que a mobilização seja muito maior.

Relacionadas