Pingnan

Fogo destruiu ponte de madeira com 900 anos na China

Augusto Correia

Ponte ardeu na noite de sábado para domingo

Foto Weibo

Uma ponte de madeira com 900 anos foi destruída pelo fogo. A travessia datava da Dinastia Song (960 a 1127) e era considerada a maior do género, na China.

A ponte de Wan foi destruída pelo fogo na noite de sábado para domingo, no distrito de Pingnan, na província chinesa de Fujian. A travessia, a mais longa com um arco de madeira na China, colapsou ao fim de 20 minutos.

Segundo o jornal "Global Times", um tabloide chinês editado em língua inglesa, não foram reportadas vítimas do incêndio. Um repórter do canal de televisão nacional chinesa CCTV adiantou que as causas estão a ser investigadas pelo Departamento de Investigação Criminal de Pingnan.

Também conhecida como Ponte da Paz Universal, a travessia tinha um arco de madeira de 90 metros, considerado o maior do género na China. O fogo demorou horas a ser apagado, mas a estrutura, com cerca de cinco metros de largura, colapsou ao fim de 20 minutos.

"Presumo que tenha sido um incêndio causado por mão humana e não um desastre natural, visto que a combustão espontânea de uma travessia sobre as águas é rara", disse Xu Yitao, perito em arquitetura arqueológica da Universidade de Pequim. Em declarações ao "Global Times", considerou que a travessia era um exemplo "da sabedoria chinesa" na arquitetura e no trabalho em madeira.

Segundo a Agência de Notícias chinesa, o município de Pingnan criou um grupo de trabalho para avaliar o incidente e estudar o restauro da ponte, que terá sido construída durante a Dinastia Song, que governou entre os anos 960 a 1127.

Em 2006, a China incluiu a ponte de Wan na lista de artefactos culturais de valor histórico. Pontes como esta, na província de Fujian, foram reconhecidas pela UNESCO pela importância "para o encontro de pessoas e como uma forma de reforçar os laços e a identidade cultural", servindo também para manter as tradições e cultos religiosos.

Na região de Pingnan há cerca de 50 pontes de madeira. Neste tipo de estruturas antigas, é comum haver santuários usados para fins religiosos. Há registos, ao longo dos anos, de incêndios causados por fiéis que acendem incenso.