O "chefe dos chefes"

Líder mafioso detido em Madrid com documentos falsos portugueses

Domenico Paviglianiti

Foto Dr

A polícia espanhola anunciou, esta quinta-feira, a detenção de um dos principais líderes da máfia da Calábria, Domenico Paviglianiti, "um dos foragidos mais procurados da Itália".

Paviglianiti foi detido na zona de Cuatro Caminos, de Madrid, a 2 de agosto, segunda-feira, numa operação conjunta com a polícia italiana. "O detido, considerado um dos foragidos mais procurados de Itália, foi localizado com documentação portuguesa falsa, seis telemóveis e quase seis mil euros em notas de 200 euros", afirma um comunicado divulgado pela Polícia Nacional de Espanha.

Paviglianiti é acusado do homicídio de um homem, crime pelo qual foi condenado a 16 anos de prisão em Itália. Ainda tem de cumprir 11 anos e oito meses da pena, depois de, em 2019, ter sido libertado por uma tecnicalidade jurídica e, mais tarde, ter-se mudado para Espanha.

A polícia detetou parte da família do detido em Barcelona, onde ele passou alguns meses refugiado, antes de seguir para Madrid, para estabelecer residência. Paviglianiti ajudou a controlar as operações da máfia no norte de Itália e América do Sul.

Chamado de "chefe dos chefes" pela imprensa italiana pelo papel nos crimes cometidos nas décadas de 1980 e 1990, incluindo assassinato e tráfico de drogas, Paviglianiti passou mais de 20 anos na prisão antes da sua libertação em 2019.

Teve "papel de destaque durante a chamada segunda guerra da máfia, quando outras famílias da 'Ndrangheta na província de Reggio Calabria apoiaram o clã De Stefano na violenta disputa com o clã dos Condello", informaram os investigadores italianos.

Na longa relação com a Justiça, Paviglianiti já havia sido detido em 1996 na Espanha e extraditado três anos mais tarde para a Itália.

Relacionadas