Rhode Island

Mensagem em garrafa atirada ao mar nos EUA foi encontrada nos Açores

MC

A garrafa encontrada nos Açores era apenas uma de várias que foram atiradas ao mar em 2018

Foto Scott Van Hoy / Unsplash

Uma mensagem numa garrafa uniu dois adolescentes em lados opostos do Oceano Atlântico três anos depois de ter sido lançada ao mar.

A viagem que começou na costa de Rhode Island, nos EUA, em 2018, terminou esta semana no arquipélago dos Açores.

Christian Santos, de 17 anos, encontrou a garrafa que guardava uma mensagem de Sean Smith, de 16 anos, que a lançou ao oceano enquanto estava de férias naquele estado norte-americano, em 2018.

Três anos depois, a mensagem foi lida pela primeira vez a mais de 3200 quilómetros de distância, de acordo com a "BBC".

Christian encontrou a garrafa enquanto pescava com o primo. "Peguei nela, olhei para dentro e havia um papel. Achei interessante e fui mostrar à minha mãe", contou o adolescente, em declarações ao jornal "Boston Glove".

"É Dia de Ação de Graças. Tenho 13 anos e estou a visitar família em Rhode Island. Sou de Vermont. Se alguém encontrar esta mensagem, mande um e-mail para messageinabottle2018@gmail.com", lia-se no papel.

A mensagem encontrada na garrafa

Foto: DR

Segundo Molly Santos, mãe de Christian, a garrafa veio de um local perto de Massachusetts, estado onde o adolescente nasceu antes de se mudar para os Açores.

Uma em várias garrafas

Curiosos para saber mais sobre o autor da mensagem, Christian e Molly decidiram seguir as instruções da garrafa: enviaram um e-mail, mas não receberam resposta.

Porém, acabaram por conseguir entrar em contacto com Sean. A mãe de Christian partilhou uma publicação sobre a mensagem no Facebook na semana passada, gerando interesse da comunicação social.

Uma semana depois, Sean viu uma notícia sobre a descoberta da sua mensagem.

"A minha primeira reação foi 'que diabos?'", contou Sean, em declarações à "CBS News", acrescentando que a garrafa encontrada por Christian era uma entre várias que ele e os familiares atiraram ao mar em 2018.

"Algumas foram encontradas não muito depois, mas dois anos e meio depois, eu já me tinha esquecido completamente de que tínhamos feito isto", disse Sean.