Países Baixos

Oito anos de prisão para holandês que roubou quadros de Van Gogh e Frans Hals

Foto Ap/arquivo

Um tribunal holandês condenou um homem a oito anos de prisão, esta sexta-feira, por ter roubao dois quadros de Vincent van Gogh e Frans Hals de pequenos museus. As pinturas continuam desaparecidas.

O holandês, identificado pelos orgãos de comunicação locais como Nils M, de 59 anos, foi detido em abril na cidade central de Baarn pelos roubos do ano passado da obra de Van Gogh de 1884 "Parsonage Garden at Nuenen in Spring", e do pintor do século XVII Frans Hals "Two Laughing Boys".

"Com os roubos, este homem não só trouxe enormes danos aos museus, mas também à sociedade e ao público internacional", determinou o Tribunal Distrital de Lelystad, segundo um comunicado. "As pinturas não podem ser mais vistas nem apreciadas".

A pintura de Van Gogh foi roubada do Museu Singer Laren, perto de Amesterdão, em março de 2020, que estava fechado devido a medidas de restrições contra a covid-19. Fica a cerca de 10 quilómetros de Baarn, onde o suspeito foi preso.

"Two Laughing Boys" de Hals foi entretanto retirado, em agosto, do museu Hofje van Mevrouw van Aerden, em Leerdam.

A polícia encontrou ADN em ambas as cenas de crime, ligando Nils M. aos roubos. O acusado, por seu lado, negou ter qualquer relação com os furtos e disse não saber onde estavam as pinturas.

"O tribunal não acreditou nisso. O ADN foi encontrado nas duas cenas do crime e o homem não soube explicar como isso foi possível", disse o tribunal.

O detetive de arte holandês Arthur Brand, apelidado de "Indiana Jones do Mundo da Arte" por encontrar uma série de pinturas perdidas, saudou a notícia da sentença, acrescentando que espera que as obras de arte sejam encontradas brevemente. "Pode demorar anos, é claro, mas espero que não demore muito", disse, em declarações à AFP. "Sabemos em que círculos estão a circular e basta uma pessoa para fazer a coisa certa e chegar-se à frente", rematou.