Eleições no Brasil

Lula e Bolsonaro vão disputar segunda volta dia 30

Sandra Alves

Apoiantes de Lula da Silva no Rio de Janeiro|

 foto ANDRE BORGES / AFP

Apoiantes de Lula da Silva em São Paulo|

 foto CAIO GUATELLI / AFP

Apoiantes de Lula da Silva|

 foto ERNESTO BENAVIDES / AFP

Apoiantes de Lula da Silva em São Paulo|

 foto Fernando Bizerra/EPA

Apoiantes de Lula da Silva em São Paulo|

 foto CAIO GUATELLI / AFP

Apoiantes de Lula da Silva em São Paulo|

 foto Fernando Bizerra/EPA

Apoiantes de Lula da Silva em São Paulo|

 foto Fernando Bizerra/EPA

Apoiantes de Bolsonaro no Rio de Janeiro|

 foto CARL DE SOUZA / AFP

Apoiantes de Bolsonaro em São Paulo|

 foto CAIO GUATELLI / various sources / AFP

É oficial: Lula da Silva e Jair Bolsonaro vão disputar a segunda volta das eleições presidenciais no próximo dia 30. Candidatos separados por seis milhões de votos.

Lula da Silva ficou à frente da contagem dos votos das eleições presidenciais, com 48,40% e 57 milhões de votos, ultrapassando Jair Bolsonaro, com 43,22% e 51 milhões, quando estavam apuradas 99,90% das secções de votação.

Quando estavam apuradas 96% das urnas (cerca da 1.30 horas desta segunda-feira em Portugal continental), o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) confirmou: "eleição matematicamente definida (Segundo turno)", uma vez que já nenhum dos candidatos teria hipótese de ultrapassar 50% dos votos válidos. Assim, os dois mais votados - Lula da Silva e Jair Bolsonaro - vão disputar a segunda volta em 30 de outubro.

Em terceiro lugar ficou Simone Tebet (4,16%) e, em quarto, Ciro Gomes (3,05%).

Contra as previsões das últimas sondagens, que davam vitória tangente de Lula na primeira volta, foram os apoiantes de Jair Bolsonaro a sorrir primeiro, ao verem o presidente recandidato surgir na liderança da contagem dos votos quando foram divulgados os primeiros resultados oficiais. Uma hora depois, Bolsonaro já ultrapassava um milhão de votos e manteve-se na frente até estarem apuradas cerca de 50% das urnas. Foi nesta altura que viu Lula de Silva a "colar-se" na tabela de resultados - ambos recolhiam 45% dos votos. Com 70% da contagem feita, o candidato do PT passou para a frente do atual presidente, manteve a liderança e aumentou a distância. Com 95% do apuramento feito, Lula registava 47,66%, com mais de 53 milhões de votos, e Bolsonaro tinha 43,86%, ou seja, 49 milhões de votos.

Assim que Lula da Silva ultrapassou Jair Bolsonaro na contagem, milhares de apoiantes explodiram numa gigante manifestação de euforia em São Paulo, onde o candidato do PT acompanhou o apuramento dos resultados.

Os primeiros números do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) começaram a ser divulgados assim que as urnas fecharam, às 17 horas no Brasil (21 horas em Portugal continental), numas eleições altamente polarizadas entre o presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, e o ex-chefe de Estado Lula da Silva.

Em Portugal, as urnas fecharam pelas 20 horas, após o encerramento ser prolongado devido à forte afluência. Lula da Silva foi o mais votado pelos eleitores brasileiros que se deslocaram aos postos de votação instalados em Lisboa, Porto e Faro.

No Brasil, os mais de 156 milhões de eleitores puderam votar em 577.125 urnas eletrónicas espalhadas por 5.570 cidades do país.

Para além de Lula da Silva e Bolsonaro, disputam as presidenciais brasileiras os candidatos Ciro Gomes, Simone Tebet, Luís Felipe D'Ávila, Soraya Tronicke, Eymael, Padre Kelmon, Leonardo Pericles, Sofia Manzano e Vera Lúcia.

Relacionadas