Relações internacionais

Angela Merkel recebida na Casa Branca em julho 

Angela Merkel recebida na Casa Branca em julho 

O presidente dos Estados Unidos vai receber a chanceler alemã, Angela Merkel, a 15 de julho na Casa Branca.

A líder alemã, que deve cessar funções após as eleições legislativas de setembro, tinha um relacionamento difícil com o antecessor de Joe Biden, Donald Trump.

"A visita da chanceler Merkel vai pôr em evidência os laços profundos entre os Estados Unidos e a Alemanha", anunciou hoje o porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki, à margem da cimeira G7 na Cornualha, especificando que a pandemia de covid-19 e o ambiente estariam entre os temas prioritários do encontro.

Até ao momento, o presidente democrata recebeu pessoalmente apenas dois líderes estrangeiros: o primeiro-ministro japonês, Yoshihide Suga, e o presidente sul-coreano, Moon Jae-in. Embora Alemanha e Estados Unidos mantenham tradicionalmente relações estreitas, o mandato de Trump foi marcado por um notável arrefecimento entre Berlim e Washington.

O ex-presidente atacou em particular o que considerou ser a contribuição muito baixa da Alemanha para o orçamento da NATO e criticou as exportações alemãs. Em julho anunciou, sem consulta, o regresso de 12 mil soldados norte-americanos estacionados na Alemanha, projeto que foi abandonado por Joe Biden assim que assumiu o poder.

A cimeira do G7 decorre entre hoje e domingo, juntando presencialmente pela primeira vez em dois anos dirigentes dos países do G7 (Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido) e da União Europeia.

Sob a presidência do Reino Unido, para esta edição foram convidados o Secretário-geral da ONU, António Guterres, e os líderes da Austrália, África do Sul, Coréia do Sul e Índia, mas este último vai intervir por videoconferência

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG