Pontos-chave

Ao 60.º dia de guerra, Ucrânia celebra Páscoa ao som das sirenes

Ao 60.º dia de guerra, Ucrânia celebra Páscoa ao som das sirenes

Dois meses depois do início do conflito, os bombardeamentos continuam. Neste domingo de Páscoa celebrado pela Igreja Ortodoxa, um ataque em Lugansk matou pelo menos oito pessoas. As sirenes de alerta soaram por todo o território ucraniano, numa altura em que o assessor de Zelensky defendeu que a fase ativa dos combates terminará dentro de duas ou três semanas. O chefe de Estado da Ucrânia mantém a "fé inabalável de que a luz vencerá as trevas".

- Pelo menos oito pessoas morreram em bombardeamentos russos no leste da província de Lugansk. De acordo com o representante local, Serhiy Haidai, seis civis morreram nas cidades de Hirske e Zolote. Em Popsana, foram encontradas duas mulheres mortas nos escombros de uma casa destruída pelas bombas.

- Seis crianças ucranianas com cancro chegaram no sábado à noite a Portugal e vão receber tratamento em quatro hospitais públicos em Lisboa, Porto e Coimbra, anunciou o Ministério da Saúde.

PUB

- A embaixadora da Ucrânia em Lisboa fez hoje uma avaliação positiva do acolhimento de milhares de refugiados que chegaram a Portugal desde a invasão do seu país pela Rússia, há dois meses, destacando a ação das câmaras municipais.

- Apesar do som das sirenes, dos bombardeamentos, da destruição, do luto e do medo, milhares de ucranianos tentam manter a tradição nas celebrações da Páscoa Ortodoxa. Veja a galeria.

- A assinalar o domingo de Páscoa, o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, falou de esperança e vitória para a nação. "O grande feriado de hoje dá-nos esperança e fé inabalável de que a luz vencerá as trevas, o bem vencerá o mal, a vida vencerá a morte e, portanto, a Ucrânia certamente vencerá", defendeu, a partir da Catedral de Santa Sofia, em Kiev.

- O assessor da presidência ucraniana, Oleksiy Arestovich, disse este domingo que a fase ativa dos combates na Ucrânia vai terminar dentro de duas ou três semanas. "Em duas, no máximo três semanas, a fase ativa terminará e, até 9 de maio (dia em que a Rússia comemora a vitória da URSS sobre a Alemanha nazi), anunciarão vitórias preliminares, dirão que os objetivos foram cumpridos e irão disponibilizar-se para negociar", afirmou Arestovich ao portal independente de língua russa Meduza, com sede na Letónia.

- A vice-primeira-ministra ucraniana, Iryna Vereschuk, anunciou este domingo que a retirada de civis de Mariupol voltou a falhar, tal como ontem. Uma nova tentativa será feita na segunda-feira.

- Cerca de 23 mil refugiados ucranianos fugiram do país nas últimas 24 horas. O número total de deslocados aproxima-se, assim, dos 5,2 milhões, segundo o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados.

- Zelensky revelou ter falado com o homólogo turco, Recep Tayyip Erdogan. Uma "conversa importante", na qual os dois chefes de Estado discutiram a evacuação de Mariupol. "Na véspera das conversações com Putin, sublinhei a necessidade da evacuação imediata dos civis de Mariupol, incluindo Azovstal, e a troca imediata de soldados", afirmou.

- Segundo um relatório do jornal "Financial Times", Vladimir Putin não só já não está interessado nos esforços diplomáticos para resolver o conflito, como ainda quer ocupar o máximo de território ucraniano possível.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG