Dia 87

Zelensky grato por Portugal "se juntar à reconstrução das escolas ucranianas"

Augusto CorreiaMaria CamposMariana Albuquerque

 foto EPA

 foto AFP

 foto AFP

António Costa visitou Irpin, zona fortemente bombardeada nos arredores de Kiev|

 foto Sílvia Gonçalves/JN

António Costa em Kiev para falar com Zelensky. Rússia corta gás a Finlândia|

 foto EPA/ANATOLY MALTSEV

O primeiro-ministro português, António Costa, deslocou-se este sábado à Ucrânia para reunir com o presidente Volodymyr Zelensky. Entretanto, a Rússia cumpriu a ameaça e anunciou a suspensão do fornecimento de gás à Finlândia, em retaliação ao pedido de adesão à NATO.

Donetsk identifica 78 mulheres entre combatentes capturados em Azovstal

Forças de Donetsk, aliadas do exército russo na invasão da Ucrânia, identificaram 78 mulheres entre os combatentes ucranianos capturados no complexo siderúrgico Azovstal, o último bastião remanescente na cidade de Mariupol, no leste do país.

A informação foi confirmada pelo líder da autoproclamada República Popular de Donetsk, Denis Pushilin, que afirmou igualmente, citado pela agência noticiosa russa TASS, que há estrangeiros entre os capturados, embora não tenha precisado o número.

"Tinham comida e água suficientes e armas de sobra, o problema era que faltavam medicamentos", disse, acrescentando que pelo menos seis combatentes ucranianos foram mortos durante o ataque final russo, quando tentaram detonar um depósito dentro do complexo siderúrgico para evitar que fossem capturados.

Segundo o líder dos separatistas de Donetsk, 2439 militares ucranianos e combatentes do batalhão Azov foram capturados pelos militares russos nas operações no complexo Azovstal.

Portugal "pronto para se juntar à reconstrução das escolas ucranianas"

O presidente da Ucrânia, Zelensky, agradeceu este sábado à noite a visita do chefe de Governo português, António Costa, a Kiev, mostrando-se "grato" pelo "tratamento caloroso" que os portugueses estão a dar aos refugiados ucranianos.

"Portugal está pronto para se juntar à reconstrução da Ucrânia, à reconstrução das escolas e jardins de infância ucranianos", referiu, recordando que, desde o início do conflito, as forças de Moscovo já destruíram 1873 estabelecimentos de ensino.

Ucrânia assegura que não aceitará cedência territorial

A Ucrânia voltou, este sábado, a referir que Kiev não aceitará qualquer cedência territorial à Rússia, noticia a Reuters.

O conselheiro presidencial Mykhailo Podolyak reconheceu que a posição ucranina está mais intransigente.

Rússia estuda troca de soldados do batalhão Azov por Viktor Medvedchuk

A Rússia vai estudar a possibilidade de trocar combatentes do batalhão ucraniano Azov feitos prisioneiros pelo deputado e milionário ucraniano pró-russo Viktor Medvedchuk, declarou um negociador e parlamentar russo, Leonid Slutsky.

"Vamos estudar a questão", afirmou Slutsky, membro da delegação russa nas mais recentes negociações com Kiev, citado pela agência noticiosa russa Ria Novosti, quando questionado sobre uma tal troca de prisioneiros.

Slutsky, que falava numa conferência de imprensa na cidade separatista de Donetsk, no sudeste da Ucrânia, adiantou que a possibilidade da troca será mencionada em Moscovo por "aqueles que têm as prerrogativas".

Viktor Medvedchuk, de 67 anos e próximo do Presidente russo, Vladimir Putin, foi novamente preso em meados de abril na Ucrânia depois de ter fugido com o início da ofensiva militar russa em 24 de fevereiro.

Mulher de Zelensky diz que a guerra também "despedaçou" a sua família

A primeira-dama da Ucrânia, Olena Zelenska, deu uma rara entrevista com o marido, o presidente Volodymyr Zelensky. É a segunda vez que o casal é visto junto desde o início da guerra na Ucrânia.

Zelenska disse que "ninguém tira o meu marido de mim, nem mesmo a guerra", mas acrescentou que mal se veem desde que a Rússia invadiu a Ucrânia e que foram "despedaçados" como outras famílias.

Ucrânia "aberta a negociações se combatentes de Mariupol não forem feridos"

A Ucrânia está disposta a retomar as negociações com a Rússia. Falando a um canal de televisão no sábado, o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, disse que “discussões entre a Ucrânia e a Rússia, sem dúvida, ocorrerão”.

“Em que formato eu não sei – com intermediários, sem eles, num grupo mais amplo, no nível presidencial”, acrescentou. “Mas a guerra será sangrenta, haverá luta e só terminará definitivamente através da diplomacia. Há coisas que só podem ser alcançadas na mesa de negociações. Queremos que tudo volte [a como era antes], mas a Rússia não quer isso”.

Ator Morgan Freeman impedido de entrar na Rússia

Foto: Reuters

O ator Morgan Freeman é um dos cerca de mil cidadãos americanos atingidos pelas sanções russas, nomeadamente a proibição de entrada no país.

A lista completa de nomes foi publicada, no sábado, pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros e inclui o presidente dos EUA, Joe Biden, e o secretário de Estado Antony Blinken.

87.º dia de conflito

Costa viu a "brutalidade" da guerra e deu a mão a Zelensky

No 87.º dia de guerra, o primeiro-ministro português, António Costa, visitou a Ucrânia e anunciou um apoio de 250 milhões de euros. Os ataques continuam, especialmente em Severodonetsk, na região de Lugansk. Fora da Ucrânia, a intenção da Finlândia e da Suécia de aderir à NATO continua a causar tensão na Turquia.

Leia os pontos-chave deste sábado AQUI

Severodonetsk sob ataques pesados

O governador da região de Lugansk, Serhiy Haidai, disse que a Rússia está a tentar destruir a cidade de Severodonetsk, com combates a ocorrer nos arredores da cidade. “O bombardeamento continua de manhã à noite e também durante a noite”, disse Haidai.

Apesar de perder terreno noutros lugares nas últimas semanas, as forças russas avançaram na frente de Lugansk.

Loja centenária "Rússia no Porto" teve ameaças mal começou guerra

A centenária loja "Rússia no Porto", situada na movimentada Rua de Fernandes Tomás, em frente ao Mercado Temporário do Bolhão, viu-se obrigada a tapar o nome do país desde que a guerra com a Ucrânia se iniciou.

Leia mais aqui

Erdogan insiste para Suécia "pôr fim ao apoio" a "organizações terroristas"

O Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, voltou a pedir à Suécia que "ponha fim ao seu apoio político e financeiro e entrega de armas a organizações terroristas", mantendo a sua oposição à entrada na Nato.

O chefe de Estado turco teve as suas primeiras conversas telefónicas com os seus homólogos suecos, a primeira-ministra Magdalena Anderson, e o presidente finlandês, Sauli Niinistö, bem como com o secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Nato) Jens Stoltenberg, desde o início da crise aberta entre Ancara e os dois países que mostraram interesse na adesão à Aliança Atlântica.

Num comunicado publicado logo após a comunicação com a primeira-ministra sueca, Erdogan disse que "espera que a Suécia tome medidas concretas e sérias, mostrando que partilha das preocupações da Turquia sobre a organização terrorista do PKK [Partido dos Trabalhadores do Curdistão] e as suas extensões na Síria e no Iraque".

Marcelo admite ir a Kiev se e quando o Governo entender adequado

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, admitiu, em resposta aos jornalistas, a possibilidade de ir a Kiev se e quando o Governo entender adequado, realçando que o presidente do parlamento já tinha sido convidado.

Leia mais aqui

Zelensky convidou Marcelo para visitar Kiev

O primeiro-ministro, António Costa, afirmou, este sábado, que o chefe de Estado ucraniano, Volodymyr Zelensky, convidou o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, para realizar uma visita à Ucrânia em data ainda a acertar.

António Costa deu conta deste convite de Volodymyr Zelensky a Marcelo Rebelo de Sousa em declarações aos jornalistas, após ter visitado a embaixada de Portugal em Kiev.

"Sou portador de um convite que o Presidente Zelensky fez a sua excelência o Presidente da República [Marcelo Rebelo de Sousa] para visitar a Ucrânia em data oportuna. E esse é o convite que transmitirei", declarou o primeiro-ministro.

Portugal condecora funcionário ucraniano da embaixada

O primeiro-ministro condecorou, em Kiev, em nome do presidente da República, um funcionário ucraniano da embaixada portuguesa que se distinguiu nas operações de repatriamento de cidadãos nacionais e luso-ucranianos nos primeiros dias de guerra.

António Costa entregou a Andryi Putilovsky, com 25 anos de serviço na embaixada de Portugal na Ucrânia, as insígnias da Ordem da Liberdade, numa cerimónia também marcada pelo regresso a Kiev do embaixador de Portugal, António Alves Machado.

O embaixador português destacou as ações Andryi Putilovsky nos primeiros dias da guerra, quando as forças russas estavam a cercar a capital ucraniana e se temia que a capital pudesse cair para as tropas de Moscovo.

Portugal envia sexta carga de medicamentos para a Ucrânia

Farmacêuticas e Ministério da Saúde doaram medicamentos oncológicos, antibióticos e preparações para injetáveis, entre outros produtos de valor superior a um milhão de euros.

Leia mais aqui

Jens Stoltenberg, secretário-geral da NATO, disse que conversou com o presidente turco Recep Tayyip Erdoğan sobre a importância da “porta aberta” da aliança em relação às candidaturas da Finlândia e da Suécia.

"Concordámos que as preocupações de segurança de todos os Aliados devem ser levadas em consideração e as negociações precisam de continuar para encontrar uma solução”, disse Stoltenberg, que já foi primeiro-ministro da Noruega.

Rússia proibe entrada de Biden e outros americanos proeminentes

Moscovo publicou uma lista de mais de 900 americanos que foram proibidos indefinidamente de entrar na Rússia. Estão incluídos o presidente Joe Biden, bem como o secretário de Estado Antony Blinken, o diretor da CIA William Burns e centenas de membros do Congresso.

Leia mais aqui

Costa assina em Kiev acordo para apoio financeiro de 250 milhões

O primeiro-ministro, António Costa, assinou, no final de uma reunião com o seu homólogo ucraniano, Denys Shmyhal, um acordo para a concessão de um apoio financeiro de 250 milhões euros à Ucrânia.

António Costa esteve reunido com o primeiro-ministro ucraniano, depois de ter sido recebido pelo chefe de Estado, Volodymyr Zelensky, com quem também deu uma conferência de imprensa conjunta, e antes de visitar a embaixada de Portugal em Kiev.

As imagens de Costa e Zelensky em Kiev

Ucrânia acusa Rússia da deportação de 1 377 925 pessoas

A comissária dos Direitos Humanos, Lyudmila Denisova, denunciou a deportação forçada e planeada de cidadãos ucranianos pela Rússia, que totaliza 1 377 925 pessoas, incluindo 232 480 crianças.

Num comunicado através da rede Telegram, recolhido pela agência Unian, e citado pela agência Efe, Denisova precisa que "até à manhã do dia 21 de maio, a Rússia tinha deportado 1 377 925 pessoas, entre elas 232 480 crianças" e que, no último dia, tinham sido deportados 17 306 cidadãos, entre eles 2213 menores.

"As declarações da Rússia sobre a suposta transferência voluntária de ucranianos não são verdadeiras. Temos provas irrefutáveis de deportação forçada e pré-planeada", realçou.

António Costa está neste momento em reunião à porta fechada com o primeiro-ministro ucraniano, Denys Shmygal, no edifício do Governo, com quem vai almoçar. A que se seguirá um encontro com o presidente do Parlamento ucraniano, Dmytro Razumkov, na Verkhovna Rada.

A comunicação social não têm acesso a nenhum destes dois pontos do programa.

Biden aprova apoio de 40 mil milhões de dólares a Kiev

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, assinou, este sábado, um decreto para apoiar a Ucrânia com mais de 40 mil milhões de dólares (37,8 mil milhões de euros) em assistência para fazer face à invasão da Rússia.

Leia mais aqui

Costa afirma que Portugal vai dar apoio técnico a Kiev para aderir à União Europeia

O primeiro-ministro afirmou hoje que Portugal vai dar apoio técnico à Ucrânia para o seu processo de adesão à União Europeia e salientou que a opção europeia de Kiev deve ser acolhida "de braços abertos".

Esta colaboração entre os dois países foi anunciada por António Costa numa conferência de imprensa conjunta com o Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, em Kiev, depois de uma reunião entre ambos que demorou mais de uma hora.

O líder do executivo português adiantou que, para desenvolver esse programa de cooperação, em junho, estará em Lisboa o chefe de gabinete adjunto do Presidente Volodymyr Zelensky.

Portugal disponível para reconstruir escolas ou uma zona territorial

O primeiro-ministro, António Costa, manifestou hoje a disponibilidade de Portugal para participar num programa de reconstrução de escolas e jardins de infância da Ucrânia ou patrocinar a reconstrução de uma zona territorial a indicar pelas autoridades ucranianas.

António Costa falava numa conferência de imprensa conjunta com o Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, em Kiev, depois de uma reunião entre ambos que demorou mais de uma hora.

Forças russas dizem ter destruído "grande carregamento" de armas ocidentais

As forças militares russas anunciaram hoje ter destruído hoje um "grande carregamento" de armas e equipamento militar fornecido pelos Estado Unidos e países europeus à Ucrânia, adianta a AFP.

"Os mísseis Kalibr de alta precisão de longo alcance lançados do mar destruíram um grande carregamento de armas e equipamento militar fornecido pelos Estados Unidos e países europeus perto da estação ferroviária de Malin, na região de Zhytomyr", anunciou o ministro da Defesa russo, em conferência de imprensa, citado pela agência de notícias francesa.

Reino Unido propõe armar Moldova perante agressão russa

A ministra britânica dos Negócios Estrangeiros, Liz Truss, pretende equipar a Moldova com armamento moderno "do padrão da NATO [Organização do Tratado do Atlântico Norte] face a um possível ataque da Rússia".

Citando uma entrevista publicada hoje no 'The Daily Telegraph', a agência EFE refere que Truss indicou que essa intenção está a ser analisada dentro da Aliança Atlântica, para que, se forem aceites, os países membros possam fornecer armas de defesa àquela ex-república soviética.

António Costa em Irpin: "É absolutamente devastador, é muito duro de ver"

Pouco depois das 11 horas (9 horas em Portugal continental), António Costa chegou a Irpin, a uma área residencial daquela cidade fortemente destruída, nesta que foi uma das zonas mais massacradas nos arredores de Kiev e que serviu de tampão à investida russa.

O primeiro-ministro mostrou-se chocado com o grau de destruição da cidade. "É absolutamente devastador, é muito duro de ver. A brutalidade que aconteceu sobre as populações civis. É fundamental que a investigação prossiga e que estes crimes sejam punidos. A guerra também tem regras".

António Costa termina visita a Irpin e regressa a Kiev

O primeiro-ministro terminou a visita a Irpin, zona fortemente bombardeada nos últimos meses. Impressionado com a destruição causada pela guerra pelos custos infligidos aos civis, iniciou entretanto o regresso a Kiev, onde será recebido pelo presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky.

Zelensky considera só a diplomacia poderá acabar com a guerra

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, considerou, este sábado, que só a diplomacia conseguirá pôr fim à guerra na Ucrânia, numa altura em que as negociações entre Moscovo e Kiev estão num impasse.

"O fim [do conflito] será diplomático", declarou Zelensky, numa entrevista a um canal de televisão local. De acordo com o chefe de Estado ucraniano, a guerra "será sangrenta, continuarão os combates, mas só acabará definitivamente pela via diplomática"

Estas declarações foram transmitidas no dia em que o primeiro-ministro português, António Costa, chegou a Kiev para manifestar solidariedade ao povo ucraniano e reunir-se com Volodymyr Zelensky.

António Costa já chegou a Irpin

O primeiro-ministro já chegou a Irpin, cidade nos arredores de Kiev. O primeiro-ministro está a ser informado pelas autoridades locais das atrocidades vividas desde o início da guerra, há quase três meses.

A rendição de Mariupol e o "mal absoluto" em Karkhiv

O dia 86 da guerra terminou com o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, a definir como "mal absoluto" o ataque russo a Kharkiv. Um dia marcado pela rendição de Mariupol. Alguns dos momentos que podem ser recordados aqui.

António Costa segue de carro para Irpin

O primeiro-ministro segue de carro para Irpin, cidade a cerca de 20 minutos de Kiev, que durante semanas foi fortemente bombardeada pelo Exército Russo, entretanto resgatada pelos ucranianos.

António Costa chegou à estação central de Kiev

O primeiro-ministro António Costa acaba de chegar à Estação Central de Kiev, às 10.35 horas (8.35 horas em Portugal) num comboio que chegou a uma plataforma recuada, longe da circulação de passageiros, rodeado de um forte aparato de segurança, com a presença de militares do Exército Ucraniano.

À chegada, Costa, acompanhado pelo vice-ministro dos Negócios Estrangeiros ucraniano, referiu, em declarações à imprensa portuguesa: “Estou a aqui a responder ao convite que me foi endereçado, para concretizar os apoios acordados de forma bilateral, para continuar a apoiar o povo ucraniano. Vamos agora visitar áreas afetadas pela guerra”.
António Costa segue agora para Irpin, nas proximidades de Kiev.

Petrolífera russa anuncia suspensão do fornecimento de gás à Finlândia

A empresa russa Gazprom anunciou a suspensão do fornecimento de gás à Finlândia, justificando-a com a recusa de Helsinquia em pagar em rublos.

A Gazprom alega que não recebeu pagamentos em rublos da companhia energética pública finlandesa Gasum até à data limite de 20 de maio e "parou completamente os seus fornecimentos de gás", afirmou o gigante de gás russo em comunicado.

Bom dia, começa aqui o acompanhamento ao minuto da guerra na Ucrânia, que entra no 87.º dia de conflito já sem resistentes na fábrica de Azovstal. A rendição chegou ontem.

Relacionadas