Pangea XIII

Máfias já lucram com Covid-19. Interpol apreendeu 13 milhões de euros em material

Máfias já lucram com Covid-19. Interpol apreendeu 13 milhões de euros em material

Máfias aproveitam-se de pandemia para vender máscaras contrafeitas, desinfetantes ineficazes e medicamentos ilegais. Operação da Interpol apreendeu artigos ilícitos no valor de 13 milhões e deteve 121 suspeitos.

As autoridades policias e alfandegárias de mais de 90 países apreenderam cerca de 37 mil artigos médicos ilegais, 34 mil dos quais ligados à COVID-19. A Operação Pangea XIII decorreu de 3 a 10 de março e constatou que as redes criminosas rapidamente se aproveitaram do receio causado pela recente pandemia e a enorme procura por equipamentos de proteção.

Foram identificados mais de dois mil endereços eletrónicos e anúncios de venda de artigos falsos ou ilícitos para alegada prevenção ou combate ao COVID-19. A grande maioria dos artigos ilícitos eram máscaras cirúrgicas contrafeitas e desinfetantes defeituosos. Porém, também foram encontrados outros itens alegadamente médicos como "Corona Spray", Medicamentos "antivírus" ou pacotes de proteção anticorona.

"Uma vez mais, a Operação Pangea mostra que nada detém os criminosos em busca de ganhos. O comércio ilícito de artigos médicos contrafeitos durante uma crise de saúde pública mostra o total desrespeito pelo bem-estar das pessoas e das suas vidas", afirmou Jürgen Stock, secretário-geral da Interpol.

O balanço final da operação resultou em 121 detenções, apreensão de artigos farmacêuticos potencialmente perigosos no valor de 13 milhões de euros, 326 mil encomendas inspecionadas, 48 mil pacotes apreendidos, 4,4 milhões de unidades de fármacos ilícitos, 37 mil artigos médicos contrafeitos e não autorizados, 2500 links eliminados (websites, redes sociais, mercados virtuais e anúncios) e o desmantelamento de 37 grupos criminosos organizados.