COP26

Arcebispo inglês debaixo de fogo após comparar alterações climáticas ao Holocausto

Arcebispo inglês debaixo de fogo após comparar alterações climáticas ao Holocausto

O arcebispo de Canterbury, Justin Welby, desculpou-se, esta segunda-feira, por sugerir que o impacto das alterações climáticas seria pior do que o genocídio nazi.

Welby, o clérigo mais antigo da Igreja da Inglaterra e líder da comunhão anglicana mundial, fez estes comentários numa entrevista à BBC na cimeira da COP26, em Glasgow. O arcebispo disse que os líderes nacionais serão "amaldiçoados" se não alcançarem o objetivo da cúpula das Nações Unidas de encontrar urgentemente formas concretas de estabilizar o aquecimento global.

Os políticos que falharem nesta tarefa serão falados pelas gerações futuras "em termos muito mais fortes do que falamos hoje dos políticos dos anos 30, dos políticos que ignoraram o que estava a acontecer na Alemanha nazi", afirmou.

Welby acrescentou que a mudança climática "vai matar pessoas em todo o mundo durante gerações" e "permitir um genocídio numa escala infinitamente maior" que "voltará para nós ou para os nossos filhos e netos".

As declarações levaram a uma reação furiosa de Stephen Pollard, editor do jornal "The Jewish Chronicle", que escreveu, no Twitter, que os comentários eram "tão repugnantes" que não conseguia "compreender como Welby pode permanecer como um padre, muito menos como arcebispo".

Mais tarde, o clérigo desculpou-se por ofender o povo judeu com a analogia do Holocausto. "Peço desculpas inequivocamente pelas palavras que usei ao tentar enfatizar a gravidade da situação que enfrentamos na COP26", escreveu Welby no Twitter. "Nunca é certo fazer comparações com as atrocidades trazidas pelos nazis e sinto muito pela ofensa causada aos judeus com essas palavras".

PUB

Sobre os comentários, um porta-voz do primeiro-ministro Boris Johnson disse: "Depende dos indivíduos e de como escolhem enquadrar o problema."

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG