EUA

Arkansas insiste em concretizar execuções previstas

Arkansas insiste em concretizar execuções previstas

As autoridades do Arkansas prometeram concretizar uma dupla execução esta semana, após o Supremo Tribunal dos EUA ter provocado um revés no plano daquele Estado norte-americano de retomar a pena capital pela primeira vez em 12 anos.

A decisão do Tribunal, que poupou a vida a um condenado minutos antes de expirar a sua sentença de morte, foi a segunda que permitiu a Don Davis escapar à execução - em 2010 esteve a horas de ser executado.

O adiamento pôs fim a um dia de disputas legais entre tribunais estaduais e federais, numa altura em que o Arkansas planeia concretizar as suas primeiras execuções desde 2005.

O governador, o republicano Asa Hutchinson, agendou oito execuções - uma já tinha sido suspensa - para os dez dias entre 17 e 27 de abril, antes que passe o prazo de validade do "stock" do Arkansas de midazolam, uma das drogas usadas nas injeções letais.

As execuções de Don Davis e de Bruce Ward deveriam ser as primeiras, mas Ward recebeu uma suspensão do Supremo Tribunal do Arkansas na segunda-feira e o Estado não recorreu da decisão.

Recorreu, no entanto da suspensão concedida a Davis, mas a decisão do Supremo norte-americano nos últimos minutos permitiu que o condenado não entrasse na câmara da morte na segunda-feira.

PUB

Apesar deste revés, a procuradora-geral Leslie Rutledge disse que o Arkansas irá insistir nas restantes execuções, incluindo duas que estão previstas para quinta-feira - Ledell Lee e Stacey Johnson.

"Há mais cinco execuções planeadas (...), mas eu continuarei a responder a toda e qualquer questão legal levantada pelos prisioneiros", disse Leslie Rutledge.

A última execução no Arkansas foi em 2005 e a última execução simultânea de mais de um condenado em 1999.

Se os sete condenados forem executados até ao fim do mês, será a primeira vez que um Estado norte-americano executa tantas penas capitais num período de tempo tão curto, desde que o Supremo Tribunal reinstaurou a pena de morte, em 1976.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG