Quénia

Assassino em série de crianças morto por multidão dois dias depois de fugir de esquadra

Assassino em série de crianças morto por multidão dois dias depois de fugir de esquadra

Um assassino em série confesso foi morto por uma multidão, no Quénia, esta sexta-feira, dois dias depois de ter fugido de esquadra.

Masten Wanjala, que admitiu o homicídio de dez rapazes ao longo de um período de cinco anos, fugiu da esquadra onde estava detido, em Nairobi, na quarta-feira, motivando uma caça ao homem.

De acordo com o "Kenya's Standard", alguns vizinhos da cidade de Bungoma, zona rural onde o queniano morava, anteciparam-se às autoridades e, quando descobriram que o homem tinha regressado para casa dos pais, seguiram-no até lá e tentaram estrangulá-lo.

O responsável da Polícia local acrescentou ao jornal que, depois desse episódio, o queniano tentou despistar os locais, mudando-se para uma casa próxima, mas a população seguiu-o até lá e espancou-o até à morte.

"Não temos a certeza de como é que conseguiu fazer todo o percurso desde Nairobi até casa", disse Musyoki Mutungi, comandante da Polícia de Bungoma, confirmando que "foram os moradores curiosos que o encontraram e mataram mesmo antes que a própria Polícia pudesse ser informada".

Masten Wanjala fazia passar-se por treinador de futebol para ganhar a confiança das vítimas, encaminhando-as para áreas isoladas. Depois, drogava-as, atacava-as e, em alguns casos, fazia delas reféns, para pedir resgate. Além dos homicídios, o queniano também confessou ter, em alguns casos, bebido o sangue das vítimas.

Depois de ter sido detido, em julho, o homicida confesso levou a Polícia aos locais onde enterrava os corpos, que desde então têm sido entregues às famílias. A Polícia disse que se apercebeu da fuga da prisão durante a chamada matinal e três agentes que estavam de serviço estão indiciados de negligência e de terem ajudado o homem a fugir.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG