EUA

Assessor de Biden admite comentários "abomináveis" a jornalista e pede demissão

Assessor de Biden admite comentários "abomináveis" a jornalista e pede demissão

A Casa Branca anunciou este sábado que aceitou a demissão de um alto funcionário que supostamente ameaçou "destruir" uma jornalista que lhe perguntou por sua vida pessoal.

O porta-voz adjunto da Casa Blanca, TJ Ducklo, foi suspenso por uma semana sem pagamento, mas agora o governo do presidente Joe Biden aceitou a sua demissão, disse a secretária de imprensa da presidência, Jen Psaki, em comunicado.

Segundo a revista "Vanity Fair", Ducklo ligou para a repórter do jornal "Politico", Tara Palmeri, depois de ela o questionar sobre a relação pessoal de vários meses com a repórter Alexi McCammond do site "Axios". Vou destruir-te", terá dito Ducklo a Palmeri num telefonema, pouco após a tomada de posse de Biden. O assessor terá feito ainda comentários depreciativos e misóginos à jornalista.

Jen Psaki disse que a Casa Branca aceitou a demissão de Ducklo depois de falar com ele no sábado à noite.

"Estamos comprometidos a esforçar-nos todos os dias para cumprir com o padrão estabelecido pelo presidente de tratar os demais com dignidade e respeito, com cortesia (...) através das nossas palavras e nossas ações", disse Psaki numa declaração escrita.

Por sua vez, na sua conta oficial de Twitter, TJ Ducklo admitiu que fez comentários "abomináveis, desrespeitosos e inaceitáveis". "Usei linguagem que nenhuma mulher deveria ouvir de ninguém, especialmente numa situação em que ela estava só a fazer o seu trabalho", escreveu.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG