EUA

Assessora de Trump Kellyanne Conway deixa a Casa Branca no fim do mês

Assessora de Trump Kellyanne Conway deixa a Casa Branca no fim do mês

A assessora Kellyanne Conway, uma das mais influentes conselheiras do Presidente Donald Trump e uma das que mais tempo esteve na Casa Branca, vai deixar o cargo no final do mês para se dedicar à família, anunciou a própria.

"Sairei da Casa Branca no final deste mês. George [o marido] também está a fazer mudanças", anunciou Kellyanne Conway em comunicado divulgado no domingo, a pouco mais de dois meses das presidenciais.

Na mesma nota, Kellyanne, 53 anos, explica que George Conway, marido da assessora e líder do Projeto Lincoln, também vai deixar o seu cargo porque ambos querem dedicar-se à família.

"Não estamos de acordo em muitas coisas, mas estamos unidos no que mais importa: as crianças. Os nossos quatro filhos são adolescentes e pré-adolescentes que começam um novo ano académico, na escola média e secundária, de forma remota desde casa durante pelo menos alguns meses. Como milhões de pais sabem, em todo o país, o facto de as crianças terem de 'ir à escola desde casa' requer um outro nível de atenção e vigilância" acrescenta o comunicado.

George Conway publicou uma mensagem na rede social Twitter uns minutos antes em que anunciava a sua intenção de se retirar do Projeto Lincoln, um grupo formado por republicanos anti-Trump, para "dedicar mais tempo a assuntos familiares".

O anúncio surge um dia após uma filha de ambos, Claudia, de 15 anos, se confessar "devastada" por saber que a mãe iria falar na Convenção Nacional Republicana e anunciar que iria pedir a emancipação legal "devido a anos de traumas de infância e abusos".

Estava previsto Kellyanne Conway participar na Convenção Nacional Republicana desta semana, mas não é claro se o fará.

PUB

O anúncio de Conway põe fim à carreira da assessora na Casa Blanca, onde ficou conhecida por ser uma das mais ferozes defensoras do Presidente Trump.

Chegou à Casa Branca em 2016 após se tornar a primeira mulher gestora de campanha a alcançar uma carreira presidencial.

Mas a tensão política com o marido já era conhecida há alguns anos, segundo a CNN.

George Conway, um advogado de Washington que foi considerado para vários cargos no Departamento de Justiça no início do mandato de Trump, emergiu rapidamente como crítico da gestão do Presidente, que em novembro concorre à reeleição.

O advogado chegou a dizer que Trump era "culpado" de não ser apto para o cargo, pediu ao Congresso que eliminasse o "cancro" de Trump da Presidência, e questionou abertamente a saúde mental do Presidente.

Kellyanne Conway diz no comunicado que a decisão de sair da Casa Branca meses antes das eleições foi uma escolha "completamente" sua, mas a opção surpreendeu muitos em alguns meios políticos e jornalísticos.

Alguns 'media' recordam que na sexta-feira passada Conway defendeu Trump num programa da Fox News e acusou o candidato democrata à Presidência, Joe Biden, de "arrogância e ignorância" quando falou sobre a pandemia de covid-19 no seu discurso de aceitação da nomeação.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG