Mundo

Ataque dos EUA no Afeganistão mata 9 médicos dos Médicos Sem Fronteiras

Ataque dos EUA no Afeganistão mata 9 médicos dos Médicos Sem Fronteiras

Nove médicos da organização Médicos Sem Fronteiras morreram na sequência de um bombardeamento noturno, ao que tudo indica levado a cabo pelos EUA, sobre um centro de cuidados de saúde daquela organização em Kunduz, cidade afegã recuperada aos talibãs pelo exército.

"O centro de trauma dos MSF em Kunduz foi atingido várias vezes durante um ataque continuado e ficou bastante danificado", afirmou a organização em comunicado, dando conta que outros 30 médicos estão desaparecidos.

Os Estados Unidos já reconheceram que poderão ter causado "danos colaterais" e afirmaram que estão a investigar o incidente.

Por sua vez, os talibãs condenaram "veementemente" o bombardeamento e acusaram os Estados Unidos de "martirizar" o pessoal médico e os doentes do centro.

A tomada de Kunduz, na segunda-feira passada, foi a conquista militar mais importante dos talibãs desde que em 2001 foram afastados do poder após a ofensiva liderada pelos Estados Unidos.

O exército afegão recuperou na quinta-feira o controlo da cidade afegã de Kunduz, no norte do país, mas combates entre as forças governamentais e os talibãs continuaram nos últimos dias.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG