Estados Unidos

Atirador mata quatro pessoas em Memphis e transmite ataque no Facebook

Atirador mata quatro pessoas em Memphis e transmite ataque no Facebook

Uma sequência de tiroteios em Memphis, na quarta-feira, fez quatro vítimas mortais e três feridos. As autoridades norte-americanas iniciaram uma busca pelo suspeito, que terá transmitido um dos ataques num direto do Facebook, obrigando ao recolher obrigatório dos residentes da segunda maior cidade do estado de Tennessee. Um jovem de 19 anos foi detido.

As buscas começaram pelas 18 horas locais, depois de as autoridades terem sido alertadas para um tiroteio transmitido online. O chefe da polícia de Memphis, C. J. Davis, disse, numa conferência de imprensa esta quinta-feira, que pelo menos um dos ataques perpetrados pelo jovem foi publicado na rede social Facebook. A polícia instou os residentes a permanecerem em casa até o jovem ser detido, depois de terem emitido um alerta de um homem armado e perigoso, responsável por vários tiroteios. "Estamos a receber relatos de que ele está a gravar as suas ações no Facebook", disse a polícia na altura.

À luz das ameaças de um homem que aparentava disparar aleatoriamente contra pessoas enquanto conduzia pela cidade, a Autoridade de Trânsito da Área de Memphis suspendeu os serviços de elétricos e autocarros, escreveu o jornal norte-americano "The New York Times". A Universidade de Memphis, ainda a recuperar de um recente rapto e assassinato de uma mulher que fazia jogging perto do campus, também fechou as portas.

PUB

Os crimes começaram pouco antes da uma da manhã de quarta-feira, quando um homem de 24 anos foi morto a tiro na entrada da garagem da sua casa. Mais tarde, pelas 16:30 horas, a polícia de Memphis reportou dois tiroteios em localizações diferentes, com a diferença de minutos. O primeiro ataque resultou na morte de um homem dentro de um carro. O segundo terminou com uma mulher alvejada na perna, que foi levada para o hospital sem risco de vida.

Por volta das 18 horas, o suspeito fazia um direto no Facebook quando entrou numa loja AutoZone e feriu gravemente um homem. Um breve vídeo publicado na plataforma mostrava um homem a repetir a expressão "isto é real" e a usar linguagem grosseira enquanto abria a porta da loja e disparava duas vezes contra a primeira pessoa que aparecia.

As autoridades disseram que, posteriormente, o suspeito terá cometido carjacking a uma mulher, que foi fatalmente alvejada múltiplas vezes no processo. Mais dois ataques se sucederam: uma mulher morreu e um homem ficou ferido. Outra pessoa foi, também, vítima de carjacking, embora tenha saído ilesa.

Não seria a primeira tentativa de ataque

O departamento da polícia de Memphis identificou o responsável por, pelo menos, oito locais de crime como sendo Ezekiel Kelly, que já tinha sido acusado, em 2020, de duas tentativas de homicídio em primeiro grau, posse de arma de fogo e ameaça imprudente com uma arma mortal. Na altura com 17 anos, foi inicialmente julgado no tribunal de menores, mas o caso viria a ser transferido para a alçada dos adultos.

O presidente da câmara, Jim Strickland, disse, na mesma conferência, que Kelly foi condenado a três anos de prisão, depois de ter admitido culpa de uma acusação menor (agressão agravada), mas cumpriu apenas 11 meses e saiu em liberdade em março. "Se o senhor Kelly tivesse cumprido a pena completa de três anos, ainda estaria na prisão e quatro dos nossos cidadãos ainda estariam vivos", apontou.

Agora, foi emitido um mandado, na quarta-feira, por homicídio de primeiro grau, embora não seja claro a qual crime se refere. O suspeito poderá enfrentar, ainda, várias acusações criminais, tendo sido transportado para o estabelecimento prisional para ser formalmente detido.

Consternados com o sucedido, os residentes relataram um aumento de criminalidade que tem assombrado a cidade nos últimos tempos. Uma mulher que escapou aos tiroteios disse ao "The New York Times" que já tinha sido assaltada várias vezes à mão armada e que, devido à escalada de violência de armas na América, não estava surpreendida que algo deste género pudesse acontecer.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG