México

Ativista das borboletas desaparecido há duas semanas encontrado morto

Ativista das borboletas desaparecido há duas semanas encontrado morto

O corpo do ativista ambiental mexicano Homero Gómez González foi encontrado num poço no centro do México duas semanas depois de o homem ter sido dado como desaparecido. Não há sinais de violência, mas o caso está sob investigação.

Homero Gómez tinha 50 anos e administrava um santuário de borboletas na cidade de Ocampo, no estado mexicano de Michoacán, uma região famosa pela presença de gangues violentos e criminosos. Num vídeo publicado no Twitter, pouco antes do desaparecimento, o ativista convidou as pessoas a visitar o santuário.

Gómez tinha sido visto pela última vez numa reunião na vila de El Soldado, na tarde de 13 de janeiro, e a família informou que ele desapareceu no dia seguinte. Parentes disseram aos meios locais de comunicação social que o ativista recebeu ameaças de um gangue de crime organizado. O corpo foi agora encontrado perto do local onde foi visto pela última vez, sem sinais de violência, refere a BBC.

Grupos de direitos humanos já tinham dito que temiam que Gómez pudesse ter sido assassinado por causa da sua luta contra a extração ilegal de madeira, uma das atividades nas quais os gangues estão envolvidos.

Mais de 200 voluntários juntaram-se nas buscas pelo ambientalista e, na semana passada, toda a força policial de Ocampo e Angangueo foi detida para interrogatório.

Não foi imediatamente esclarecido como o corpo foi encontrado. No Twitter, a procuradoria de Michoacán disse que o corpo foi levado para autópsia.

PUB

Homero Gómez era ativista pela conservação da borboleta monarca e das florestas de pinheiros e abetos onde as borboletas hibernam. O santuário que administrou foi inaugurado em novembro do ano passado como parte de uma estratégia para acabar com a exploração ilegal de madeira na área, que é um habitat essencial para a borboleta monarca.

Desde 2006, 60 mil pessoas desapareceram no México, muitas das quais foram consideradas vítimas de gangues criminosos que não hesitam em matar qualquer pessoa que possa interferir nas suas atividades ilegais.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG